21 de janeiro de 2019, 09h10

“Fantástico” acusa jornalismo da Rede Record de aliviar Flávio Bolsonaro em entrevista

A apresentadora Ana Paula Araújo observou que o programa concorrente deixou de fazer duas perguntas vitais ao senador eleito

Foto: Reprodução
O programa “Fantástico”, da Rede Globo, deste domingo (20), quebrou o protocolo e fez crítica pública à entrevista concedida pelo senador Flávio Bolsonaro minutos antes no “Domingo Espetacular”, da Rede Record. O filho do presidente Jair Bolsonaro respondeu no programa às duas denúncias divulgadas pelo “Jornal Nacional” nas edições de sexta (18) e sábado (20) relativas ao caso do ex-motorista Fabrício Queiroz, que trabalhou até o ano passado para o gabinete do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio. Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais A apresentadora...

O programa “Fantástico”, da Rede Globo, deste domingo (20), quebrou o protocolo e fez crítica pública à entrevista concedida pelo senador Flávio Bolsonaro minutos antes no “Domingo Espetacular”, da Rede Record.

O filho do presidente Jair Bolsonaro respondeu no programa às duas denúncias divulgadas pelo “Jornal Nacional” nas edições de sexta (18) e sábado (20) relativas ao caso do ex-motorista Fabrício Queiroz, que trabalhou até o ano passado para o gabinete do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) na Assembleia Legislativa do Rio.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

A apresentadora do “Fantástico”, Ana Paula Araújo observou que o programa concorrente deixou de fazer duas perguntas ao senador eleito que poderiam ter esclarecido melhor o que foi dito.

“Ao senador, não foi perguntado, e por isso ele não respondeu, por que optou por 48 depósitos de R$ 2 mil com diferença de minutos em cada operação em vez de depositar o total que recebeu em espécie de uma só vez na agência bancária onde tem conta. Também não foi questionado por que preferiu receber parte do pagamento da venda em dinheiro e não em cheque administrativo ou transferência bancária.”

As denúncias do JN

O Jornal Nacional revelou, primeiro, que entre junho e julho de 2017, Bolsonaro recebeu 48 depósitos no valor de R$ 2 mil cada, em espécie, feitos no caixa eletrônico da Assembleia Legislativa do Rio. Um dia depois, relatou que o senador eleito pagou um título bancário de R$ 1.016.839, emitido pela Caixa Econômica Federal, sem indicar o favorecido.

Bolsonaro disse ao repórter Lúcio Sturm que os depósitos de R$ 2 mil feitos em sua conta se referem a dinheiro dele mesmo, fruto da venda de um apartamento que foi feita, parcialmente, em espécie. Este mesmo apartamento também foi citado como explicação do pagamento de R$ 1.016.839 de um título bancário da Caixa. O valor, disse, refere-se à quitação da compra deste imóvel em um momento anterior.

Com informações da coluna da Mauricio Stycer

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais