ASSISTA
13 de Abril de 2014, 19h40

FBI abre investigação criminal sobre Herbalife

A empresa vem sendo alvo de um campo de batalha para vários figurões financeiros. O gestor de fundos Bill Ackman também acusou publicamente a empresa de ser um esquema de pirâmide e publicou vários relatórios alegando fraude entre distribuidores seniores da empresa

A empresa vem sendo alvo de um campo de batalha para vários figurões financeiros. O gestor de fundos Bill Ackman também acusou publicamente a empresa de ser um esquema de pirâmide e publicou vários relatórios alegando fraude entre distribuidores seniores da empresa

Por Jornal GNN

A Herbalife, empresa sediada em Los Angeles, nos Estados Unidos, e que vende shakes e suplementos nutricionais para uma rede de milhões de distribuidores em todo o mundo, está agora sob investigação criminal por parte do Departamento de Justiça e do FBI.

O inquérito, segundo o jornal Financial Times, ainda está em sua fase preliminar, e nenhuma acusação foi apresentada contra a empresa.

No começo do ano, a Comissão Federal de Comércio dos EUA também abriu um inquérito civil contra a Herbalife. A entidade antitruste e de proteção ao consumidor dos Estados Unidos iniciou investigação sobre as atividades da empresa de suplementos nutricionais após mais de um ano de monitoramento de seus negócios. A empresa foi acusada de ser um esquema de marketing multi-nível ou “pirâmide”, como é mais conhecida.

Em resposta à investigação da FTC, a Herbalife afirmou que a empresa estava dentro dos limites da lei. “A Herbalife saúda o inquérito, dada a enorme quantidade de desinformação no mercado, e irá cooperar plenamente com a FTC”, disse a empresa, em um comunicado. “Estamos confiantes de que a Herbalife está em conformidade com todas as leis e regulamentos aplicáveis”, informou, na época.

A empresa vem sendo alvo de um campo de batalha para vários figurões financeiros. O gestor de fundos Bill Ackman também acusou publicamente a empresa de ser um esquema de pirâmide e publicou vários relatórios alegando fraude entre distribuidores seniores da empresa. Ackman foi contestado por vários bilionários, incluindo Carl Icahn, Dan Loeb e George Soros, este último dono de ações da Herbalife.

Ackman e a própria Herbalife passaram a investir pesado no lobby nos últimos anos. Mas tudo indica que a insistência de Ackman está ganhando força contra a empresa, que agora enfrenta investigação de pelo menos três agências governamentais do país.

Com informações do The Verge