04 de dezembro de 2018, 15h57

Festival promove exibição gratuita de cópia restaurada do “Yellow Submarine”, dos Beatles

Sessão gratuita com a cópia restaurada da icônica animação dos Beatles, na comemoração dos 50 anos do filme, acontece no Cine Olido, em São Paulo

Foto: Divulgação

O icônico filme de animação dos Beatles, “Yellow Submarine”, faz 50 anos em 2018 e volta aos cinemas brasileiros com versão restaurada em sessões oficiais gratuitas promovidas pelo Animage – Festival Internacional de Animação de Pernambuco. A cópia comemorativa ao aniversário de “Yellow Submarine” tem resolução digital 4k e trilha remixada nos estúdios da Abbey Road, em surround 5.1 estéreo.

Veja o trailer abaixo:

A estreia no Brasil, que aconteceu em outubro, dentro da programação regular da 9ª edição do festival, agora ganha uma sessão especial em São Paulo, sábado, dia 8 de dezembro no Cine Olido, dentro da programação da Semana Internacional de Música de São Paulo.

O histórico Cine Olido já foi um dos mais luxuosos do centro de São Paulo na década de 1950, atualmente a sala está equipada com DCP (Digital Cinema Package). Na abertura da sessão será exibido o curta francês “Make It Soul”, de Jean-Charles Mbotti Malolo (2018), sobre James Brown e que também esteve entre os 200 filmes do Animage deste ano.

Uma animação deslumbrante

Dirigido por George Dunning e escrito por Lee Minoff, Al Brodax, Jack Mendelsohn e Erich Segal, com direção de arte e produção de Heinz Edelmann, o deslumbrante e lisérgico desenho animado “Yellow Submarine conta a história da pacata e musical Pepperland que é atacada pelos Malvados Azuis, liderados pela terrível Luva Voadora.

Para resgatar a felicidade do local, são convocados os Beatles, que desembarcam do seu submarino amarelo, com um ácido bom humor e sua música maravilhosa, a principal arma para combater o baixo astral e a maldade. O desenho conta a viagem desde a cinzenta Londres, de Eleanor Rigby e suas pessoas solitárias e passa por vários e inusitados mares. Cruza com personagens impagáveis, como o Nowhere Man (Homem de lugar nenhum), a Lucy in The Sky with Diamonds (Lucy no céu com diamantes) entre tantos outros tantos baseados nas antológicas canções do grupo.

A trilha sonora orquestral do desenho também é impecável e ficou por conta do maestro e produtor George Martin. São temas melódicos inusitados, baseados na música erudita de várias épocas, desde Bach – que tem um tema citado explicitamente – até vários toques de música contemporânea e de vanguarda.

Foto: Divulgação

O desenho, multicolorido, é nitidamente inspirado na arte pop da década de 60, eternizada por Andy Warhol entre outros. Todos os Beatles, e particularmente Paul McCartney, eram entusiastas do gênero e transitavam na época pelas galerias e estúdios de Londres e Paris. O roteiro do desenho tem, por sua vez, a clara influência nos seus diálogos da comédia non sense inglesa e, particularmente, Lewis Carrol, fulminante influência, principalmente de John Lennon.

O seu resultado final é, sem medo de exagerar, o signo de uma época. Poucas obras tem a capacidade de síntese de um tempo de forma tão certeira.

Bem no seu final, no único momento em que os Beatles aparecem em película como eles mesmos, Lennon, com uma luneta nas mãos, alerta a plateia sobre a presença dos Malvados Azuis nos arredores da sala de projeção.  A partir disto, evoca a todos que para enfrentá-los devem cantar “All Togheter Now”. Como guia, no letreiro final, a frase “Todo mundo agora” aparece em várias línguas repetidas.

Na época, um povo atordoado e aflito com a sequência de invasões militares, sobretudo no Vietnã, não sem surpresa, se levantava e cantava nos cinemas do mundo junto aos ingênuos e alegres Beatles. Não se tem notícia de uma única bomba que tenha deixado de ser jogada por conta disso. Mas ao menos serviu para encher o mundo de esperança e, sobretudo, beleza, muita beleza.

O Animage – Festival Internacional de Animação de Pernambuco

O Animage é atualmente um dos maiores festivais de animação do país e acontece anualmente no Recife, Pernambuco. Em 2018 realizou sua 9ª edição com programação variada que inclui Mostra Competitiva, sessões de curtas e longas-metragens, mostras especiais e traz nomes importantes do cinema de animação como convidados para debates, oficinas e masterclass, além de promover iniciativas sociais e ambientais.

A sessão especial de Yellow Submarine em São Paulo é uma oportunidade imperdível para os fãs da banda e da animação.

Serviço:

Longa Yellow Submarine, de George Dunning

UK/USA, 1968, 90min

Na abertura será exibido o curta Curta Make It Soul, de Jean-Charles Mbotti Malolo:

Foto: Divulgação

França, 2018, 15min

Chicago, inverno de 1965. James Brown e Solomon Burke, apresentadores do Teatro Regal, duas lendas da Soul Music. Bastidores, todos estão sob pressão. Mas nos Estados Unidos de 1960, ambos reconhecem que sua música tem poderes inesperados.

Data: 08/12/2018
Horário: 17h
Cine Olido
Av. São João, 473 – República, São Paulo
Ingressos: gratuito (ingressos distribuídos 1h antes da sessão na bilheteria)
Classificação: livre (sessão legendada)