16 de setembro de 2018, 18h45

Festival reúne milhares em São Paulo em defesa da liberdade de Lula

Na Avenida Paulista, esquina com a Alameda Bela Cintra, Festival Lula Livre contou com diversos artistas consagrados

(Foto: Mídia Ninja)

Por Fernando Polacchini* 

Neste domingo (16) foi a vez de São Paulo cantar a liberdade do ex-presidente Lula, preso desde o dia 7 de abril em Curitiba. Diversos artistas e ativistas sociais como Marcelo Jeneci, Renegado, Ana Cañas, entre muitos outros, se reuniram na Avenida Paulista. O festival foi um sucesso de público na capital paulista, totalmente pacífico, com a presença de muitos jovens, famílias e, acima de tudo, com muita diversidade e pluralidade cultural.

A primeira edição do Festival Lula Livre ocorreu na cidade do Rio de Janeiro, nos Arcos da Lapa, em 28 de julho, reunindo 80 mil pessoas e ícones da música popular brasileira como Gilberto Gil e Chico Buarque. Em São Paulo uma multidão ocupou uma das avenidas mais movimentadas da capital, gritando por democracia, liberdade e Lula Livre.

Mariana Dias e Jessy Dayane, presidente e vice da União dos Estudantes (UNE). (Foto: Mídia Ninja)

“Temos o maior presidente que o país já teve preso injustamente, sem prova nenhuma, por um apartamento que não é dele. Quando a gente cerceia uma liberdade, seja de quem for, a gente está sujeito a censura da arte, criminalizam os artistas, políticos e a esquerda”, disse a atriz Renata Carvalho.

O cantor Otto, também presente no evento, quando perguntado sobre a importância deste festival no cenário nacional, respondeu: “Primeiro é reforçar mais ainda a democracia e o direito civil, a liberdade de um homem, que foi condenado injustamente em julgamento passivo. Então essa perseguição toda primeiramente tem que liberar Lula, pois é um cara muito importante na nossa história para estar preso, é uma herança que eu não quero deixar para os meus filhos.”

Otto (Foto: Mídia Ninja)

Marcelo Jeneci, cantor e compositor, também reforçou a importância da liberdade de Lula à Fórum: “Acredito que hoje temos que tratar de um assunto muito sério que é dignidade e valores humanos, sobre a condição do nosso memorável Luiz Inácio Lula da Silva, preso, sendo impedido de participar de eventos e da eleição, antes de entrar em um âmbito político, acho que é um ataque à dignidade humana dele, uma prisão forçada e sem provas que tira o leão da floresta. A importância deste festival é justamente para gente se unir, trazer um pouco mais de autonomia para si próprio”.

Marcelo Jeneci (Foto: Mídia Ninja)

Para uma das produtoras do evento, Breta Ferreira, o festival demonstra a voz da população que está presa com Lula: “O Festival Lula Livre é um festival em nome do povo, daquilo que acreditamos. É um grito preso na garganta da população, pelo direito de poder votar, em nome dos nossos direitos de ir e vir e de tudo aquilo que acreditamos e queremos para o nosso país”.

* Fernando Polacchini faz parte do Projeto Colab Fórum Eleições 2018