03 de maio de 2018, 16h34

Filha de Temer é interrogada por quatro horas pela PF no inquérito dos Portos

Maristela Temer prestou depoimento à PF no âmbito do inquérito que investiga se as reformas em um imóvel de sua propriedade foram pagas com dinheiro de propinas

Por Brasil 247

Maristela Temer, filha de Michel Temer, prestou depoimento por quatro horas à Polícia Federal, no aeroporto de Congonhas (SP), no âmbito do inquérito que investiga se as reformas em um imóvel de sua propriedade foram pagas com dinheiro de propinas de empresas do setor portuário, que teriam se beneficiado de uma medida provisória editada pelo emedebista.

De acordo com a Polícia Federal, a reforma, orçada em cerca de R$ 1 milhão, teria sido paga ex-coronel da Polícia Militar de São Paulo João Batista Lima. O arquiteto Carlos Roberto Pinto, que também trabalhou na reforma do imóvel, também prestou depoimento. A PF também vai colher depoimentos de outros fornecedores que afirmam terem sido pagos com dinheiro em espécie pela mulher do ex-coronel, Maria Rita Fratezi. Lima foi citado por delatores da JVS como sendo o intermediador de propinas do esquema. Lima, juntamente com outros amigos e aliados de Temer, foi preso em março deste ano no âmbito da Operação Skala.