ASSISTA
14 de Fevereiro de 2018, 11h29

Filho de pedreiro e costureira, morador de Piripiri (PI) se torna o doutor mais jovem do Brasil

O piauiense Guilherme Lopes, de 26 anos, teve sua tese de doutorado em biotecnologia aprovada na UFPI, em Parnaíba

“Hoje, pude olhar pelo retrovisor da vida e vi que cheguei até aqui porque nunca vim sozinho”, disse Guilherme Lopes – Foto: Reprodução

Exemplo de esforço e dedicação, Guilherme Lopes se tornou, aos 26 anos, dois meses e 26 dias, o mais jovem doutor do Brasil. Ele teve sua tese de doutorado em biotecnologia aprovada na UFPI, em Paranaíba, cujo tema é “Bioprospecção da bergenina isolada de Peltophorum dubium, com ênfase nas propriedades antioxidantes e anti-anti-inflamatórias: aporte para o desenvolvimento de novos fitomedicamentos”.  No ano passado, uma cearense foi reconhecida oficialmente como a mais jovem doutora do país, com 26 anos, nove meses e cinco dias. As informações são do Portal Meio Norte.

Filho de costureira e pedreiro, moradores do bairro Prado, em Piripiri-PI, Guilherme passou um ano na Espanha, aperfeiçoando sua pesquisa no Departamento de Farmacologia da Universidad de Sevilla, por meio de um bolsa do programa Ciência sem Fronteiras, do Governo Federal, criado pela ex-presidenta Dilma Rousseff e encerrado na gestão de Michel Temer.

O jovem estudou em escola pública e, usando a nota do ENEM no PROUNI, foi bolsista do curso de graduação em Biomedicina na Faculdade Maurício de Nassau, em Teresina. “Hoje, pude olhar pelo retrovisor da vida e vi que cheguei até aqui porque nunca vim sozinho. Me lancei ao novo, vivenciei o inesperado, saboreei o doce e o amargo, mas em todo o tempo o Todo Poderoso cuidou de mim”, disse Guilherme. Atualmente, ele é professor da Faculdade Chrisfapi, onde ministra disciplinas nos cursos de Farmácia e Enfermagem.