06 de agosto de 2018, 23h37

Filosofadas e uma constatação

Em seu blogue, Mouzar Benedito traz uma seleção de frases dos mais variados temas e uma constatação nada "filosófica"

Eleições são o assunto do momento. Mas é um assunto que vai-se tornando cada vez mais chato. Decidi variar…

Aí vai uma seleção de frases que colecionei sobre os mais variados temas. E termino com uma constatação que não tem nada de filosófica, mas vale para todos os homens. Mulheres não precisam dela…

 

Guimarães Rosa: “A colheita é comum, mas o capinar é sozinho”.

***

Anônimo (ouvido em Guaxupé – MG) “Já devo estar saindo de linha. Tudo que eu uso está parando de fabricar”.

***

Machado de Assis: “As mulheres pertencem aos mais atrevidos”.

***

Carmem Sylva: “Uma mulher é apedrejada pela ação que poderia ter sido praticada por um homem perfeito”.

***

Cornélio Pires: “A alegria é o prenúncio da amargura”.

***

Marquês de Maricá: “A companhia dos livros dispensa com grande vantagem a dos homens”.

***

Humberto de Campos: “Sê senhor de tua vontade e escravo de tua consciência”.

***

Humberto de Campos, de novo: “Dançar é rezar com as pernas”.

***

Humberto de Campos, mais uma vez: “Livro emprestado é como o corvo que Noé soltou na Arca. Vai e não volta mais”.

***

Marilyn Monroe: “A imperfeição é bela, a loucura é genial e é melhor ser absolutamente ridículo que absolutamente chato”.

***

Marilyn, de novo: “Mulheres comportadas raramente fazem história”

***

Afrânio Peixoto: “O coração é como uma catedral: tem o altar-mor, mas tem muitas capelas laterais”.

***

Vão Gogo (Millôr Fernandes): “Há certas pessoas que têm uma cultura excepcional. Quando se pergunta se elas têm uma enciclopédia, respondem logo: ‘Não! Que é que você quer saber?’”.

***

Vão Gogo, de novo: “Quando chegar a hora de os humildes herdarem o Reino do Céu, o imposto de renda vai ficar com mais da metade”.

***

Ditado popular: “Um desengano oportuno é um benefício importante”.

***

Alexandre Herculano: “Eu não me envergonho de corrigir e mudar as minhas opiniões, porque não me envergonho de raciocinar e aprender”.

***

Vitor Caruso: “Vítima do dever é o indivíduo perseguido pelos credores”.

***

D. Xiquote: “Se eu fosse o único homem do mundo, que conflagração entre as mulheres!”.

***

Ditado popular: “Com Deus no rosto e o diabo no coração”.

***

Clarice Lispector: “Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta o edifício inteiro”.

***

Clarice Lispector, de novo: “Porque há o direito ao grito. Então eu grito”.

***

Walther Waeny: “Os banquetes são o lugar onde os ouvidos pagam o que a boca ingere”.

***

Waeny, de novo: “As melhores pessoas são sempre, a nosso ver, aquelas que se parecem conosco”.

***

Ditado popular: “Os credores têm melhor memória do que os devedores”.

***

Mário Donato: “Tudo que pagamos apenas com o dinheiro é sempre barato”.

***

Marques Rebelo: “Duvidar é evoluir, mas sem permitir que a dúvida se transforme em vício”.

***

Marques Rebelo, de novo: “A rua é uma mestra. Vale por uma enciclopédia”.

***

Ditado popular: “Duvidar é mais filosófico que decidir”.

***

Érico Veríssimo: “Uns escrevem para contar. Outros, para provar. Não poucos, para desabafar”.

***

Barão de Itararé: “A guerra é uma coisa tão absurda e incompreensível que, quando se registra um combate de amplas proporções, até as ‘baixas’ são altas”.

***

Leoni Kaseff: “Os que se mostram fortes contra os fracos são geralmente fracos contra os fortes”.

***

Camões: “Fraqueza é dar ajuda ao mais potente”.

***

Rui Barbosa: “As injúrias são razões de quem não tem razão”.

***

Graça Aranha: “A imitação é uma prática brasileira”.

***

Raquel de Queiroz: “A lembrança só dói quando fresca. Depois de curtida, é consolo”.

***

Tomás Ribeiro: “As memórias são os únicos espelhos a que velhos se miram satisfeitos”.

***

Ditado popular: “Faça trabalhar a cabeça e dê férias à língua”.

***

Menotti Del Picchia: “A maledicência é necessária à vida, como as oposições são necessárias aos bons governos”.

***

Miguel Couto: “Deus criou o homem para o sofrimento e a medicina para aliviá-lo”.

***

Monteiro Lobato: “A treva gera o medo; o medo gera os deuses e os diabos, que por sua vez geram as religiões”.

***

Ditado popular: “Os doidos inventam a moda e o povo a segue”.

***

Aristides Ávila: “Escândalo é uma coisa anormal que acontece quase sempre na vida alheia”.

***

Medeiros de Albuquerque: “A multidão é um animal misterioso e terrível, amedronta e fascina”.

***

Vitor Caruso: “Máximo divisor comum é a miséria”.

***

Paula Nei: “Tudo tenho conseguido com o verbo, eu e Deus: Ele fez o mundo em seis dias. Eu, em trinta e três anos, ainda não consegui fazer uma casa.

***

Celso de Magalhães: “As boas qualidades, quando exageradas, tornam-se más”.

***

Uma constatação, depois de urinar: “Não adianta chacoalhar. O último pingo é sempre da cueca”.