12 de março de 2019, 15h37

Flávio Dino diz que para descobrir quem mandou matar Marielle basta seguir dinheiro dos milicianos

“Para terminar de desvendar o bárbaro assassinato de Marielle, um dos caminhos é ir atrás dos fluxos financeiros dos quadrilheiros milicianos. O tesoureiro deles está solto”, tuitou o governador do Maranhão

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB), que exerceu a função de juiz federal por mais de uma década, usou seu Twitter para indicar o caminho para se descobrir os mandantes dos assassinatos de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. Dino utilizou a conhecida expressão em inglês “follow the money” (siga o dinheiro): “Vale o tradicional lembrete, já muito conhecido: follow the money. Para terminar de desvendar o bárbaro assassinato de Marielle, um dos caminhos é ir atrás dos fluxos financeiros dos quadrilheiros milicianos. O tesoureiro deles está solto. Basta achá-lo”, tuitou. Vale o tradicional lembrete, já muito conhecido:...

O governador do Maranhão Flávio Dino (PCdoB), que exerceu a função de juiz federal por mais de uma década, usou seu Twitter para indicar o caminho para se descobrir os mandantes dos assassinatos de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Dino utilizou a conhecida expressão em inglês “follow the money” (siga o dinheiro): “Vale o tradicional lembrete, já muito conhecido: follow the money. Para terminar de desvendar o bárbaro assassinato de Marielle, um dos caminhos é ir atrás dos fluxos financeiros dos quadrilheiros milicianos. O tesoureiro deles está solto. Basta achá-lo”, tuitou.

Moro

Em 2015, ainda quando era juiz, o hoje ministro da Justiça, Sérgio Moro, usou essa expressão, durante aula inaugural na Escola de Magistratura do Paraná. “O criminoso dedicado a extermínio mediante aluguel, não é o chefe normalmente que vai sujar suas mãos de sangue. Mas certamente ele é o último beneficiário da atividade criminosa. É o velho conselho norte-americano: ‘Siga o dinheiro e você descobre quem é o chefe, quem é responsável pelo crime’”, disse.

Nesta terça-feira (12), policiais da Divisão de Homicídios e promotores do Ministério Público estadual do Rio de Janeiro prenderam o policial militar reformado Ronnie Lessa, 48 anos, e o ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, de 46 anos, apontados como suspeitos pelos assassinatos de Marielle e Anderson.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.