Imprensa livre e independente
22 de janeiro de 2019, 15h48

#FlavioBolsonaroNaCadeia está em primeiro nos TT’s no Brasil

Mais de 50 mil usuários compartilharam a frase até o início da tarde

Foto: Reprodução
A hashtag #FlavioBolsonaroNaCadeia está em primeiro lugar nas trend topics do Twitter na tarde desta terça-feira (22). Mais de 50 mil usuários já haviam compartilhado a frase até o início da tarde. O assunto passou na frente da viagem do presidente Jair Bolsonaro para o Fórum Econômico Mundial, em Davos. As mensagens repercutem as denúncias feitas pelo jornal O Globo desta terça-feira, a respeito dos dois principais alvos da operação “Os Intocáveis”, o ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega e o major da PM Ronald Paulo Alves Pereira, que foram homenageados, em 2003 e 2004, na Assembleia Legislativa do Rio, por indicação...

A hashtag #FlavioBolsonaroNaCadeia está em primeiro lugar nas trend topics do Twitter na tarde desta terça-feira (22). Mais de 50 mil usuários já haviam compartilhado a frase até o início da tarde. O assunto passou na frente da viagem do presidente Jair Bolsonaro para o Fórum Econômico Mundial, em Davos.

As mensagens repercutem as denúncias feitas pelo jornal O Globo desta terça-feira, a respeito dos dois principais alvos da operação “Os Intocáveis”, o ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega e o major da PM Ronald Paulo Alves Pereira, que foram homenageados, em 2003 e 2004, na Assembleia Legislativa do Rio, por indicação do deputado estadual Flávio Bolsonaro.

A operação é resultado de seis meses de investigações e é comandada pelo grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), com o apoio da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil.

As investigações descobriram ainda que a mãe e a mulher do ex-capitão do Bope, Adriano Magalhães da Nóbrega, alvo da operação, eram empregadas do gabinete de Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) até o novembro do ano passado. O ex-capitão é tido pelo Ministério Público do Rio como o homem-forte do Escritório do Crime, organização suspeita do assassinato de Marielle Franco.

Veja também:  Doria repreende coronel da PM e é criticado pelo Major Olímpio: “Arrogante”

Leia abaixo alguns dos posts do Twitter sobre o assunto:

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum