ASSISTA
21 de setembro de 2017, 17h44

Funaro diz “ter certeza” que Temer recebia parte da propina do esquema do PMDB

Acusação foi feita durante delação premiada do homem apontado como operador de propinas; ele falava sobre a atuação do partido na Caixa Econômica Federal.

Acusação foi feita durante delação premiada do homem apontado como operador de propinas; ele falava sobre a atuação do partido na Caixa Econômica Federal.

Da Redação*

Lúcio Funaro, operador financeiro, afirmou, em depoimento, ter “certeza” que o presidente Michel Temer recebia parte da propina paga no esquema que atuou na Caixa Econômica Federal e envolvia políticos do PMDB. Funaro fechou acordo de delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato. O acordo foi homologado pelo Supremo Tribunal Federal no início deste mês. Documentos com o conteúdo dos depoimentos do operador foram anexados ao inquérito que investiga supostos crimes cometidos por políticos do PMDB.

“[Funaro disse] que [Eduardo] Cunha falava ao depoente [Funaro], abertamente, que Michel Temer também recebia propina e tinha conhecimento dos fatos; [acrescentou] que tem certeza que Michel Temer tinha conhecimento e recebia parte da propina”, diz o relatório da delação. Em depoimento à Polícia Federal em junho, Funaro já havia dito que Temer orientou a distribuição de dinheiro desviado da Caixa.

Em outro trecho do depoimento, Funaro afirmou que o ex-deputado Eduardo Cunha era quem recebia os recursos ilícitos e enviada a Temer. A propina, acrescentou o delator, era administrada por José Yunes, ex-assessor especial de Temer, e pelo coronel Lima, amigo do presidente. “[Funaro disse] que sabe que Eduardo Cunha redistribuía propina a Temer com ‘110% de certeza'”, diz outro trecho.

*Com informações do G1

Foto: Reprodução