Imprensa livre e independente
04 de janeiro de 2019, 08h54

Fundação Cobra Coral diz que foi contratada para afastar chuva na posse de Bolsonaro

Por onde o presidente e a comitiva passavam, o tempo ia abrindo e permaneceu firme”, diz Osmar Santos, presidente da FCCC.

Presidente Jair Bolsonaro deixa o Congresso Nacional após tomar posse e segue para o Palácio do Planalto. (Agência Brasil)
Coluna da jornalista Mônica Bergamo, na edição desta sexta-feira (4) da Folha de S.Paulo, diz que a Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC), entidade que se classifica como esotérico-cientifica e controla o clima, afirma ter sido contratada por um admirador do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para afastar as chuvas previstas para a posse. “Apesar de o dia ter amanhecido chuvoso, começou a melhorar após as 13h e foi abrindo. Por onde o presidente e a comitiva passavam, o tempo ia abrindo e permaneceu firme”, diz Osmar Santos, presidente da FCCC. Segundo ele, não é a primeira atuação da entidade em Brasília....

Coluna da jornalista Mônica Bergamo, na edição desta sexta-feira (4) da Folha de S.Paulo, diz que a Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC), entidade que se classifica como esotérico-cientifica e controla o clima, afirma ter sido contratada por um admirador do presidente Jair Bolsonaro (PSL) para afastar as chuvas previstas para a posse.

“Apesar de o dia ter amanhecido chuvoso, começou a melhorar após as 13h e foi abrindo. Por onde o presidente e a comitiva passavam, o tempo ia abrindo e permaneceu firme”, diz Osmar Santos, presidente da FCCC.

Segundo ele, não é a primeira atuação da entidade em Brasília. “Durante a visita de Barack Obama também fomos convocados, e quando o avião presidencial pousou em Brasília, a chuva parou”, diz.

 

Veja também:  Depois que encontrou Jesus, Bolsonaro e Olavo de Carvalho, diretor teatral viu carreira desabar

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum