25 de agosto de 2018, 12h41

Funkeiro acusado de ligação com o tráfico é candidato a deputado federal no Rio

MC Tikão já esteve preso e é acusado de ter ajudado na fuga do traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, da Rocinha, em setembro de 2017

Foto: Reprodução/Facebook

O funkeiro Fabiano Baptista Ramos, mais conhecido como MC Tikão, foi preso em outubro de 2017 sob suspeita de ligação com o tráfico de drogas da favela da Rocinha. Agora, ele resolveu ser candidato a deputado federal pelo partido Solidariedade, no Rio de Janeiro. Sua candidatura, segundo informações de Carolina Heringer, do Extra, foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no último dia 9, mas ainda não foi deferida.

Tikão ficou um mês preso e foi solto depois que a Justiça negou a renovação de sua prisão temporária. Apesar disso, continuou sendo investigado pela Delegacia de Combate às Drogas (Dcod) e foi indiciado por associação para o tráfico de drogas no início de junho deste ano. No fim do mês, Fabiano foi denunciado pelo mesmo crime pelo Ministério Público estadual.

O funkeiro é acusado de ter ajudado na fuga do traficante Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, da Rocinha, em setembro de 2017, quando as Forças de Segurança iniciaram uma operação para tentar conter a guerra pelo controle do tráfico na comunidade.

De acordo com investigação da Dcod, Rogério fugiu da comunidade de São Conrado na garupa da moto pilotada por Fabiano. Ainda segundo o inquérito, o funkeiro é amigo íntimo do traficante e participou de reuniões de sua quadrilha.