Imprensa livre e independente
21 de novembro de 2018, 09h17

Futura ministra da Agricultura de Bolsonaro diz que “está na hora de sentar e rever o Mercosul”

Ligada à bancada ruralista, Tereza Cristina ainda afirmou que acha que há um excesso de multas ambientais. "Há abusos e excessos. Tem muitas multas descabidas".

Reprodução/Youtube
A deputada Tereza Cristina (DEM/MS), que a partir de janeiro assume o comando do Ministério da Agricultura do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), afirmou, em entrevista ao jornal O Globo desta quarta-feira (21), que “está na hora de sentar e rever o Mercosul”. “O Mercosul, para o Brasil, é desigual, principalmente para os produtos da agropecuária. Estamos com problemas por causa do leite, que entra no país e causa prejuízos, principalmente, para os pequenos produtores. Tem também o problema do arroz, que é seríssimo. O mundo hoje é muito rápido e dinâmico. Está na hora de sentar e rever o...

A deputada Tereza Cristina (DEM/MS), que a partir de janeiro assume o comando do Ministério da Agricultura do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), afirmou, em entrevista ao jornal O Globo desta quarta-feira (21), que “está na hora de sentar e rever o Mercosul”.

“O Mercosul, para o Brasil, é desigual, principalmente para os produtos da agropecuária. Estamos com problemas por causa do leite, que entra no país e causa prejuízos, principalmente, para os pequenos produtores. Tem também o problema do arroz, que é seríssimo. O mundo hoje é muito rápido e dinâmico. Está na hora de sentar e rever o Mercosul”, diz.

Perguntada se pretende mudar alíquotas para negociação de produtos no bloco, ela foi enfática: “com certeza”. “A gente precisa sentar e ver os interesses. Ou o Brasil tenta fortalecer o Mercosul e dizer o que quer, ou então ele sai, num caso extremo. Mas não deve continuar como está. É desvantajoso para nós”.

Ligada à bancada ruralista, Tereza Cristina ainda afirmou que acha que há um excesso de multas ambientais. “Antes de você ir ao campo e multar, é preciso explicar o que está acontecendo, dar uma notificação e, se depois ele incorrer de novo, haverá uma infração. Há abusos e excessos. Tem muitas multas descabidas”.

Veja também:  Movimento LGBTI+ comemora conquista no STF

Leia a entrevista completa no site do jornal O Globo.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum