ASSISTA
15 de Abril de 2014, 17h29

Garotinho: “Aécio se juntou aos saqueadores”

A frase foi dita após o jantar do presidenciável do PSDB com 45 lideranças do PMDB do Rio. "Este trio Cabral, Pezão e Picianni destruiu o estado, e colar a imagem com eles vai desgastar o candidato tucano", disse o deputado estadual do PR

A frase foi dita após o jantar do presidenciável do PSDB com 45 lideranças do PMDB do Rio. “Este trio Cabral, Pezão e Picianni destruiu o estado, e colar a imagem com eles vai desgastar o candidato tucano”, disse o deputado estadual do PR

Por Brasil 247

O deputado federal e pré-candidato ao governo do Rio Anthony Garotinho (PR) avalia que o presidenciável tucano Aécio Neves pode ter sua imagem desgastada caso se alie ao PMDB do estado. O senador esteve ontem em jantar com 45 lideranças peemedebistas do Rio, partido presidido por Jorge Picciani no estado.

Ao comentar o encontro, Garotinho afirmou: “Acho que o jantar vai sair muito caro para o senador Aécio Neves. Ele acaba de se juntar aos saqueadores dos cofres públicos do estado do Rio. Este trio Cabral, Pezão e Picianni destruiu o estado, e colar a imagem com eles vai desgastar o candidato tucano”.

No encontro, em um restaurante do Jardim Botânico, na Zona Sul, Picciani entregou a Aécio os mapas que produziu, a pedido do senador, com líderes peemedebistas que apoiariam a campanha do PSDB em cada um dos 92 municípios fluminenses. Picciani anunciou que o diretório estadual do PMDB debaterá com seus integrantes o apoio à candidatura do PSDB à Presidência da República.

Garotinho disse ainda que a reunião de Aécio com os peemedebistas teria sido combinada e autorizada previamente pelo ex-governador Sérgio Cabral e pelo atual governador e pré-candidato Luiz Fernando Pezão: “Qual inocente para acreditar que o líder do governo, deputado André Corrêa, vá a um jantar de apoio a um candidato a presidente e diga que não foi autorizado pelo governador do qual ele é líder na Alerj?”, questionou.

Na avaliação do ex-governador, a presidente Dilma Rousseff, que cumpre agenda nesta terça-feira no Rio ao lado de Pezão, está sendo enganada. “A presidente Dilma está sendo enganada no Rio. Tudo o que está acontecendo tem o consentimento do ex-governador Cabral e do atual governador Pezão”, disse.