Imprensa livre e independente
29 de julho de 2017, 15h39

Gays querem que mulheres paguem mais caro em casas noturnas

O presidente do Guia Gay diz que "Homens ganham mais e a média de idade deles é mais alta na noite. A diferença não é discriminativa”.

O presidente do Guia Gay diz que “Homens ganham mais e a média de idade deles é mais alta na noite. A diferença não é discriminativa”. Da Redação* De acordo com informações da coluna de Mônica Bérgamo, os editores do Guia Gay, distribuído em 7 capitais, foram ao Procon-SP para questionar a decisão que proibiu festas e casas noturnas de cobrarem preços diferentes de homens e mulheres. Os lugares cobram caro delas justamente para deixar as festas com mais homens. “Daqui a pouco vão obrigar a entrada de mulher em sauna gay”, diz Welton Trindade, responsável pelo guia. “Ele diz que a...

O presidente do Guia Gay diz que “Homens ganham mais e a média de idade deles é mais alta na noite. A diferença não é discriminativa”.

Da Redação*

De acordo com informações da coluna de Mônica Bérgamo, os editores do Guia Gay, distribuído em 7 capitais, foram ao Procon-SP para questionar a decisão que proibiu festas e casas noturnas de cobrarem preços diferentes de homens e mulheres. Os lugares cobram caro delas justamente para deixar as festas com mais homens. “Daqui a pouco vão obrigar a entrada de mulher em sauna gay”, diz Welton Trindade, responsável pelo guia.

“Ele diz que a diferenciação de preços em eventos LGBTs é comum. Em festas lésbicas, o preço mais alto para homens evita clientes que “têm fetiches”, diz Trindade.

O Procon-SP endureceu a fiscalização depois que a Justiça determinou que os preços sejam iguais. A Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) entrou com ação civil pública questionando decisão.

A entidade diz que há excesso de intervenção do estado em uma atividade empresarial. “Homens ganham mais e a média de idade deles é mais alta na noite. A diferença não é discriminativa”, disse Percival Maricato, presidente da entidade.”

Veja também:  Esperando Glenn Greenwald: um réquiem para o jornalismo brasileiro

*Com informações da coluna de Mônica Bérgamo

Foto: Logo Guia Gay

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum