15 de janeiro de 2018, 09h13

General Mourão, que defendeu intervenção militar, segue no cargo do qual foi exonerado

Em dezembro, o governo decidiu que ele viraria adido na Secretaria-Geral do Exército, mas o militar continua na Secretaria de Economia e Finanças da instituição.

Em dezembro, o governo decidiu que ele viraria adido na Secretaria-Geral do Exército, mas o militar continua na Secretaria de Economia e Finanças da instituição. Da Redação* Tudo continua igual para o general que defendeu publicamente a intervenção militar no Brasil. Antonio Hamilton Mourão, exonerado da Secretaria de Economia e Finanças do Exército depois de se manifestar publicamente favorável à intervenção militar e de dizer que a gestão Michel Temer se equilibra mediante um “balcão de negócios”, ainda não se afastou da função. As informações são da coluna Painel, da Folha de S.Paulo. Ajude a Fórum a fazer a cobertura...

Em dezembro, o governo decidiu que ele viraria adido na Secretaria-Geral do Exército, mas o militar continua na Secretaria de Economia e Finanças da instituição.

Da Redação*

Tudo continua igual para o general que defendeu publicamente a intervenção militar no Brasil. Antonio Hamilton Mourão, exonerado da Secretaria de Economia e Finanças do Exército depois de se manifestar publicamente favorável à intervenção militar e de dizer que a gestão Michel Temer se equilibra mediante um “balcão de negócios”, ainda não se afastou da função. As informações são da coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

Em dezembro, o governo decidiu que ele viraria adido na Secretaria-Geral da instituição. O substituto de Mourão tomará posse quando acabar a transição no posto.

*Com informações da Folha de S.Paulo e do Brasil 247

Foto: Divulgação/Comando Militar do Sul