24 de abril de 2018, 14h48

Gilmar Mendes admite que a Segunda Turma do STF pode soltar Lula

O ministro disse ainda que o STF pode reduzir a pena de Lula

De acordo com informações dos repórteres Gilberto Amendola e Daniel Weterman no Estadão, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse nesta terça-feira (24) que considera “prejudicado” o recurso apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso na Lava Jato, mas admitiu a possibilidade de a decisão da Turma resultar na sua liberdade.

“Eu acredito que já esteja prejudicado, porque o Tribunal (TRF-4) negou o recurso, mas pode, claro”, afirmou o ministro.

O ministro Edson Fachin, relator da operação na Corte, encaminhou para o plenário virtual da Segunda Turma do STF uma reclamação da defesa do petista contra a execução da prisão.

Redução da Pena

Gilmar também comentou a hipótese de que ao invés de dois crimes (lavagem de dinheiro e corrupção passiva), Lula pode ter a condenação revista, restando apenas a imputação por corrupção – e, neste caso, a lavagem de dinheiro considerada uma ação feita no contexto da corrupção passiva. “É preciso discutir se os dois crimes a que ele foi condenado são realmente dois crimes”, afirmou. Se, eventualmente, o entendimento for de que houve apenas um crime, a pena do ex-presidente poderá ser reduzida.

Leia mais no Estadão