14 de setembro de 2018, 20h51

Gilmar Mendes manda soltar o tucano Beto Richa

Ministro do Supremo Tribunal Federal havia criticado esta semana o “notório abuso de poder” em ações contra políticos às vésperas das eleições

Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), tomou a iniciativa de conceder habeas corpus ao ex-governador do Paraná e candidato ao Senado, Beto Richa (PSDB), de acordo cm informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de São Paulo. O magistrado deu salvo conduto ao tucano também em relação a qualquer determinação de prisão preventiva, o que suspende a recente ordem de prisão do juiz Fernando Fischer.

De acordo com apurações do Ministério Público, Richa é suspeito de liderar uma organização criminosa, que exigia o recebimento de propinas de fornecedores do governo do Paraná.

O ministro afirmou ver “notório abuso de poder” e a necessidade de que fossem colocados “freios” na atuação dos investigadores.

“Pelo que estava olhando no caso do Richa, é um episódio de 2011. Vejam vocês que fundamentaram a prisão preventiva a uns dias da eleição, alguma coisa que suscita muita dúvida. Essas ações já estão sendo investigadas por quatro, cinco anos, ou mais. No caso de Alckmin, Hadad, todos candidatos. E aí [o MP] anuncia uma ação agora! É notório um abuso de poder”, disse Gilmar.