Imprensa livre e independente
20 de abril de 2019, 13h55

Governador tucano do RS defende expulsão de Aécio e Richa do PSDB

“Mais do que um 'mea culpa', defendo levar a discussão à desfiliação de membros com denúncias graves e provas robustas”, destacou Eduardo Leite

Foto: Divulgação/Governo RS
Aécio Neves e Beto Richa não conseguem agradar nem mesmo os tucanos. Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio Grande do Sul, declarou que seu partido deveria desfiliar integrantes acusados de corrupção “com denúncias graves e provas robustas”. Em entrevista ao Jornal da CBN – Segunda edição, Leite mencionou o deputado federal e ex-senador Aécio Neves (MG) e o ex-governador do Paraná Beto Richa (PR) como tucanos que deveriam ser expulsos do partido. Na avaliação do governador gaúcho, “o PSDB se desconectou” do eleitorado ao não punir Aécio e Richa. “Mais do que um mea culpa, defendo levar a discussão à desfiliação...

Aécio Neves e Beto Richa não conseguem agradar nem mesmo os tucanos. Eduardo Leite (PSDB), governador do Rio Grande do Sul, declarou que seu partido deveria desfiliar integrantes acusados de corrupção “com denúncias graves e provas robustas”.

Em entrevista ao Jornal da CBN – Segunda edição, Leite mencionou o deputado federal e ex-senador Aécio Neves (MG) e o ex-governador do Paraná Beto Richa (PR) como tucanos que deveriam ser expulsos do partido.

Na avaliação do governador gaúcho, “o PSDB se desconectou” do eleitorado ao não punir Aécio e Richa. “Mais do que um mea culpa, defendo levar a discussão à desfiliação de membros com denúncias graves e provas robustas”, destacou.

Eduardo Leite ressaltou que a provável alteração de nome do partido, que está sendo ventilada por alguns integrantes do PSDB, deveria ser a “última etapa de um processo de revisão interna”. Do contrário, a mudança não faria sentido.

Veja também:  “Bolsonaro é como o imperador Nero: incendeia todo o país”, afirma Lula

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum