Imprensa livre e independente
15 de fevereiro de 2019, 09h08

Governo analisará propostas de agências de publicidade para divulgar reforma da Previdência

 A portaria se refere às mudanças nas regras para aposentadoria como Nova Previdência, nome que o governo pretende adotar na campanha para diminuir a resistência da população, evitando falar em “reforma”.

Idade mínima será de 65 anos para homens e 62 para mulheres - (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O governo criou, nesta sexta-feira (15), uma comissão para analisar propostas apresentadas por agências de publicidade para campanha com o fim de reduzir a resistência da população à reforma da Previdência. Nesta quinta-feira (14), o Ministério da Economia anunciou que a reforma terá idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres, e que o período de transição será de 12 anos. Uma portaria interministerial assinada pelos ministros da Economia, Paulo Guedes; da Casa Civil, Onyx Lorenzoni e da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, prevê que a comissão terá seis membros, indicados pelos ministros....

O governo criou, nesta sexta-feira (15), uma comissão para analisar propostas apresentadas por agências de publicidade para campanha com o fim de reduzir a resistência da população à reforma da Previdência. Nesta quinta-feira (14), o Ministério da Economia anunciou que a reforma terá idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres, e que o período de transição será de 12 anos.

Uma portaria interministerial assinada pelos ministros da Economia, Paulo Guedes; da Casa Civil, Onyx Lorenzoni e da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, prevê que a comissão terá seis membros, indicados pelos ministros.

A portaria se refere às mudanças nas regras para aposentadoria como Nova Previdência, nome que o governo pretende adotar na campanha, evitando falar em “reforma”.

Veja também:  Comissão da Câmara aprova requerimento para ouvir editor do Intercept e Sérgio Moro sobre vazamentos

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum