Imprensa livre e independente
19 de fevereiro de 2018, 08h17

Gregório Duvivier: “Nenhuma favela é tão criminosa quanto o Congresso”

Duvivier lembrou ainda: "já que Temer tá interessado em ganhar popularidade, fica a dica: seu desaparecimento é mais popular do que qualquer intervenção”

O humorista Gregório Duvivier. Foto: Divulgação
Em sua coluna da Folha de S. Paulo desta segunda-feira (19), Gregório Duvivier questiona se a roubalheira começou nos morros do Rio de Janeiro: “Viva a intervenção militar! Chegamos a tal ponto que só o Exército vai pôr fim à roubalheira. Só não entendi por que ela começou no morro do Rio de Janeiro”. O autor lembra que “em Brasília, um terço dos congressistas está às voltas com a Justiça. De todas as favelas do Rio, nenhuma tem uma porcentagem tão grande de criminosos quanto o Congresso. Não somente em quantidade, mas em qualidade: duvido que a quantia total de...

Em sua coluna da Folha de S. Paulo desta segunda-feira (19), Gregório Duvivier questiona se a roubalheira começou nos morros do Rio de Janeiro: “Viva a intervenção militar! Chegamos a tal ponto que só o Exército vai pôr fim à roubalheira. Só não entendi por que ela começou no morro do Rio de Janeiro”.

O autor lembra que “em Brasília, um terço dos congressistas está às voltas com a Justiça. De todas as favelas do Rio, nenhuma tem uma porcentagem tão grande de criminosos quanto o Congresso. Não somente em quantidade, mas em qualidade: duvido que a quantia total de furtos no Rio seja maior que a verba encontrada no apartamento de Geddel”.

Duviviver lembrou ainda o episódio do helicóptero do senador Zezé Perrela: “Nenhuma favela do Rio jamais esconderá tanta cocaína quanto o helicóptero daquele senador do PSDB”.

Já sobre a aceitação pública da intervenção, o humorista disse: “espanta que o presidente menos popular da história ainda esteja interessado em saber o que o povo pensa. Se a população for consultada, fica muito claro que a metástase a que ele se refere tem nome e sobrenome: o seu”.

Veja também:  Movimento "Direitos Já" busca isolar Bolsonaro e criar um novo espectro político de resistência

Para finalizar, Duvivier dá uma dica para Temer aumentar a sua popularidade:

“Enquanto isso, o inimigo em comum continua sentado na cadeira presidencial. Já que Temer tá interessado em ganhar popularidade, fica a dica: seu desaparecimento é mais popular do que qualquer intervenção”.

Leia o artigo completo aqui.

 

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum