28 de junho de 2018, 13h50

Guilherme Boulos critica ministro do Turismo de Temer: “Machismo mata”

Para pré-candidato do PSOL, Vinicius Lummertz “resolveu sair do anonimato para dizer que ‘não morreu ninguém’ quando um grupo de brasileiros assediou sexualmente uma mulher na Rússia. O Brasil tem 135 estupros e 12 assassinatos de mulheres por dia”

Continua repercutindo muito mal a declaração de Vinicius Lummertz, ministro do Turismo de Michel Temer. O titular da pasta tentou minimizar os vídeos de brasileiros, que se aproveitaram do desconhecimento do idioma português de uma torcedora russa para fazê-la repetir palavras chulas de cunho sexual. O pré-candidato à presidência da República, Guilherme Boulos (PSOL), usou o Twitter para criticar Lummertz.

“Ministro do Turismo de Temer resolveu sair do anonimato para dizer que ‘não morreu ninguém’ quando um grupo de brasileiros assediou sexualmente uma mulher na Rússia. O Brasil tem 135 estupros e 12 assassinatos de mulheres por dia. Machismo mata!”, tuitou Boulos.

Segundo o ministro, “a repercussão foi grande por causa das redes sociais, não pelo fato em si. Porque não morreu ninguém, ninguém foi assassinado. Perante o mundo real, eu entendo o simbolismo, mas o simbolismo não representa nada estatisticamente”.