Imprensa livre e independente
04 de junho de 2018, 18h28

Há quase 2 meses na prisão, Lula já teria lido 21 livros

O ex-presidente, de acordo com sua equipe, estaria lendo agora "O Voto do Brasileiro", de Alberto Carlos Almeida. Saiba quais outros livros Lula já leu desde que foi preso, há 58 dias

Lula durante o lançamento de seu livro lançado pela editora Boitempo (Foto: Twitter/Gleisi Hoffmann)
De primeiro presidente sem um diploma universitário ao presidente que mais criou universidades na história do país, Lula, para alguns, continua sendo um “analfabeto” e “preguiçoso”. É verdade que em uma entrevista em 1981 o então sindicalista revelou ter “preguiça” de ler, mas já há alguns bons anos que o petista não esconde o hábito e o gosto pela leitura e tem sua intelectualidade respeitada e reconhecida em dezenas de universidades ao redor do mundo. Lula já recebeu mais de 30 títulos de doutor honoris causa de universidades nacionais e do exterior. O último foi concedido pela Universidad de Rosario,...

De primeiro presidente sem um diploma universitário ao presidente que mais criou universidades na história do país, Lula, para alguns, continua sendo um “analfabeto” e “preguiçoso”. É verdade que em uma entrevista em 1981 o então sindicalista revelou ter “preguiça” de ler, mas já há alguns bons anos que o petista não esconde o hábito e o gosto pela leitura e tem sua intelectualidade respeitada e reconhecida em dezenas de universidades ao redor do mundo. Lula já recebeu mais de 30 títulos de doutor honoris causa de universidades nacionais e do exterior. O último foi concedido pela Universidad de Rosario, da Argentina.

Preso há 58 dias em Curitiba, os relatos daqueles que conseguiram visitar o ex-presidente dão conta de que a leitura se tornou, mais do que nunca, uma aliada do petista diante do isolamento ao qual foi submetido. Amigos e pessoas próximas a Lula que o viram ao longo desde período quase sempre relatam o livro que ele estava lendo. Além da leitura, Lula estaria usando os livros, ainda, como “halteres” para praticar exercícios físicos. Ele os coloca dentro de um saco plástico e os levanta como se fossem “pesos” de academia.

Veja também:  FórumCast #04 | Vaza Jato: Moro e Dallagnol provam de seu próprio veneno

Leia também
O dia em que vi Lula lendo Raízes do Brasil e conversamos sobre o livro

Quanto à leitura, a equipe do ex-presidente usou seu perfil oficial no Twitter para dar a última atualização: Lula teria lido, ao longo dos últimos 58 dias que está preso, 21 livros. A lista vai de ensaios, passando por estudos políticos e filosofia à ficção e romance. A obra da vez é “O voto do brasileiro”, de Alberto Carlos Almeida.

Na lista dos livros já lidos por Lula na prisão que se tornaram de conhecimento do público estão, ainda, “Homo Deus – Uma Breve História do Amanhã”, do israelense Yuval Noah Harari; “O Amor nos Tempos do Cólera”, do colombiano Gabriel García Márquez e “A Elite do Atraso”, do brasileiro Jessé de Souza.

Veja também:  Ministros garantistas podem declarar Moro suspeito em processos de Lula no STF

Livro do Lula

Em março deste ano, pouco mais de um mês antes de ser preso, o ex-presidente Lula lançou, pela editora Boitempo, o livro “A verdade vencerá: o povo sabe por que me condenam”.

O coração da obra são as 124 páginas, de um total de 216, que apresentam um retrato fiel do ex-presidente no presente contexto em formato de uma longa entrevista concedida aos jornalistas Juca Kfouri e Maria Inês Nassif, ao professor de relações internacionais Gilberto Maringoni e à editora Ivana Jinkings, fundadora e diretora da editora da Boitempo. Foram horas de conversa aberta e sem temas proibidos, divididas em três rodadas, que aconteceram no Instituto Lula, em São Paulo, nos dias 7, 15 e 28 de fevereiro.

Saiba mais aqui.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum