17 de setembro de 2018, 10h18

Haddad diz em sabatina que vai manter Lava Jato, mas defende punição para o delator mentiroso

Haddad disse que é contra a concentração de propriedades de comunicação e que vai regular a distribuição de veículos

Haddad em sabatina da Folha. Foto: Reprodução

O candidato à Presidência da República, Fernando Haddad (PT), afirmou nesta segunda-feira (17), na série de sabatinas promovida por Folha, o UOL e o SBT que vai prosseguir com a operação Lava Jato, mas acha que se deve estabelecer punições para o delator mentiroso.

Haddad disse ainda que Lula não quer indulto. Ele quer que o Supremo Tribunal federal (STF) o absolva. “Eu acredito que o Lula vai ser absolvido. A própria ONU deve julgar o caso do presidente Lula no primeiro semestre do ano que vem. Eu li o processo e ele não tem sustentação. E isso não sou eu quem está dizendo, mas diversos outros juristas”, disse.

Haddad disse que é contra a concentração de propriedades de comunicação e que vai regular a distribuição de veículos. Ele acusou ainda os jornais brasileiros de não respeitarem a concorrência ao pedir ao Supremo que declare sites de agências internacionais inconstitucionais.

“Quem é que tem medo da pluralidade? Não somos nós”, disse.