17 de setembro de 2018, 11h34

Haddad diz que vai punir militar que quiser sabotar a democracia

“Como temos um presidente sem nenhuma autoridade, muita gente fala pelos cotovelos”, disse Haddad

Haddad em Sabatina Folha/SBT. Foto: Reprodução

Em sabatina realizada, nesta segunda-feira (17), na série promovida pela Folha, o UOL e o SBT, o candidato Fernando Haddad disse que não vai ter acordo com quem quiser “sabotar a democracia”.

“Como temos um presidente sem nenhuma autoridade, muita gente fala pelos cotovelos”, disse Haddad. O petista disse que num governo dele a defesa da democracia seria uma tarefa primordial.

“Não vai ter acordo com quem quiser sabotar a democracia no Brasil. Quem estiver debaixo da Presidência da República não vai poder sabotar a democracia. Se for um membro da ativa das Forças Armadas tem que ter um ato disciplinar. Divergência democrática é bem-vinda. Mas as regras do jogo, todos os brasileiros têm que seguir.”

Haddad disse ainda que chegou a hora de enfrentar os bancos, de colocar “um chicote e uma cenoura” no mercado bancário, punindo aqueles que cobram juros excessivos. O candidato defendeu uma mudança na área.

Haddad disse também que é possível isentar o imposto de quem ganha até R$ 5 mil. Segundo ele, a perda na arrecadação seria recompensada pela retomada do consumo pelas famílias, que ao economizar com o pagamento do imposto poderiam gastar e assim aquecer a economia.