Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

23 de março de 2019, 08h22

Haddad: “Fake news são um insulto a todos nós brasileiros que queremos proteção da Justiça”

O STF autorizou a primeira busca e apreensão no inquérito que investiga ofensas a ministros da Corte, na última quinta-feira (21)

Foto: Gustavo Bezerra

Alvo de fake news durante a campanha eleitoral, o ex-candidato a presidente da República Fernando Haddad (PT) diz que o Supremo Tribunal Federal (STF) não deveria preocupar-se com as fake news apenas quando elas atingem a imagem da Corte, mas também quando insultam a todos os brasileiros.

“O STF não pode agir apenas quando insultado, pois as fake news são um insulto a todos nós brasileiros que queremos a proteção da Justiça”, disse ao blog Haddad, nesta sexta-feira (22).

Na última quinta, em meio à prisão de Michel Temer, o ministro Alexandre de Moraes autorizou as primeiras medidas no inquérito que investiga ofensas a ministros da Corte. As ações cumpridas incluíram busca e apreensão nas casas de suspeitos em São Paulo e Alagoas. A investigação corre em sigilo.

Segundo registrou o portal Congresso em Foco, as agências de checagem Lupa e Aos Fatos e o projeto Fato ou Fake, do Grupo Globo, tiveram de desmentir pelo menos 104 fake news contra Haddad e o PT e outras 19 prejudiciais a Bolsonaro e seus aliados durante o período eleitoral.

Em entrevista à TV Pajuçara, o advogado alagoano Adriano Argolo, apontado como o responsável por ataques feitos em redes sociais contra autoridades, tendo como um dos alvos o presidente da Suprema Corte, ministro Dias Toffoli, rebateu a acusação e disse que as mensagens atribuídas a ele que levaram ao cumprimento do mandado não são de sua autoria.

“Uma montagem grosseira. Eu tenho perfil no Twitter e faço críticas contundentes ao ‘status quo’ do Brasil atualmente. Sou crítico da operação Lava Jato, sou contra inclusive a CPI da Lava Toga [para investigar o STF], e hoje fui surpreendido por esse mandado”, afirmou.

A Ordem dos Advogados do Brasil de Alagoas se pronunciou sobre o caso através de uma nota. Veja abaixo a íntegra:

“A Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Alagoas (OAB-AL), por meio da Diretoria de Prerrogativas, acompanha as ações da Polícia Federal para garantir o direito à inviolabilidade do sigilo entre o advogado e seus clientes, como também oferece todo apoio necessário ao profissional, garantindo o seu direito ao contraditório.

O presidente Nivaldo Barbosa Júnior já entrou em contato com o advogado, colocando-se à disposição para atendê-lo.

FAKE NEWS

A OAB/AL, seguindo a posição da OAB Nacional, apoia e se solidariza com o Supremo Tribunal Federal (STF) em suas ações de combate às fake news no país. Recentemente, a própria OAB Nacional, como também profissionais da advocacia, foram vítimas de notícias falsas. O Conselho Federal criou um Observatório Permanente onde, uma de suas principais pautas, é o combate a disseminação de notícias falsas vitimando milhares de pessoas em todo o país.”

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.