19 de setembro de 2018, 08h27

Haddad: “Lula mandou recado à Globo: não quero indulto, quero minha inocência reconhecida”

"Ter um estadista da categoria do Lula como amigo, à disposição do Brasil, só se fosse louco eu dispensaria os conselhos do Lula”, disse Haddad

Fernando Haddad. Foto: Reprodução Rede Globo

Fernando Haddad, candidato do PT à Presidência da República, disse que o ex-presidente Lula mandou um recado à Rede Globo após saber que a empresa retomou a pauta de que, se eleito, o ex-prefeito de São Paulo vai assinar um indulto para libertá-lo. “Ontem mesmo, quando Lula soube que esse assunto voltou por pressão da imprensa, sobretudo da Rede Globo que pressiona muito sobre esse assunto, ele mandou de novo um recado para a Rede Globo: não quero indulto, quero a minha inocência reconhecida pelos tribunais nacionais e internacionais”, afirmou Haddad, em entrevista na manhã desta quarta-feira (19) ao programa Sociedade Urgente, da Rádio Sociedade, da Bahia.

Segundo Haddad, a Comissão de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) deve julgar no primeiro semestre de 2019 o mérito do processo “que afirma que Lula não teve um processo justo no Brasil”. “O Lula tem a certeza que, por falta de provas, terá sua inocência reconhecida”, disse o candidato petista.

Haddad disse ainda que, se eleito, terá uma interlocução permanente com Lula. “Ter um estadista da categoria do Lula como amigo, à disposição do Brasil, só se fosse louco eu dispensaria os conselhos do Lula. Lula é um estadista reconhecido internacionalmente, ele recebe visitas de chefes de estado do mundo interior, que vêm ouví-lo. Você acha que um brasileiro vai deixar de ouvir o ex-presidente se o mundo inteiro ouve?”.