18 de setembro de 2018, 09h29

Haddad na CBN/G1: “A Globo levou 50 anos para reconhecer que foi um erro apoiar golpe militar, que deixou o país nas trevas por mais de 20 anos”

Haddad prometeu ainda que, eleito, mexerá em dois "vespeiros": a taxação dos bancos e a concentração dos meios de comunicação. "São dois cartéis", disse

Haddad em entrevista CBN/G1. Foto: Reprodução

Em entrevista à Rádio CBN/G1, das organizações Globo, Fernando Haddad, candidato do PT à Presidência da República, afirmou que tem muita gente reconhecendo que foi um erro apoiar o golpe que destituiu Dilma Rousseff (PT), ao comentar sobre os apoios de diversos setores políticos que vem recebendo em sua campanha.

“As organizações Globo levaram 50 anos para reconhecer que foi um erro de ter apoiado o golpe militar, que deixou o país nas trevas por mais de 20 anos. Eu não posso perdoar em 2 anos quem reconheceu que errou?”, indagou o candidato, citanto o mea culpa feito pelo ex-presidente do PSDB, Tasso Jereissati – que em entrevista ao Estadão disse que os tucanos erraram em sabotar o governo Dilma.

Haddad prometeu ainda que, eleito, mexerá em dois “vespeiros”: a taxação dos bancos e a concentração dos meios de comunicação. “São dois cartéis”, disse ele.

Citando a Ação Direta de Inconstitucionalidade movida por jornais brasileiros contra agências internacionais que distribuem conteúdo em português, o petista afirmou: “nós não vamos permitir a cartelização dos meios de comunicação como querem alguns grupos econômicos no Brasil”.


#tags