05 de julho de 2018, 20h00

Helton Yomura não suporta a pressão e pede demissão do Ministério do Trabalho

Alvo de operação da Polícia Federal, ele havia sido afastado do cargo por determinação do Supremo Tribunal Federal; novo ministro não deve ser do PTB

Helton Yomura (PTB) não aguentou a pressão e pediu demissão do Ministério do Trabalho, segundo informações de Filipe Matoso e Guilherme Mazui, do G1. Ele é alvo da Operação Registro Espúrio, da Polícia Federal e havia sido afastado do cargo nesta quinta-feira (5), por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

A Polícia Federal investiga uma suposta organização criminosa integrada por políticos e servidores, que teria atuado para fraudar concessões de registros sindicais pelo Ministério do Trabalho.  Yomura foi à sede da PF, em Brasília, para ser submetido a interrogatório. No entanto, ele pptou por ficar calado diante das perguntas feitas pelos investigadores.

Advogado filiado ao PTB, Yomura chegou ao comando do Ministério do Trabalho por indicação do partido. Ex-secretário-executivo da pasta, ele também foi superintendente do Ministério do Trabalho no Rio de Janeiro. Yomura assumiu a pasta, depois que Ronaldo Nogueira (PTB-RJ) se demitir, em dezembro de 2017. Temer chegou a nomear para o cargo a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), mas a Justiça impediu a posse. Filha do ex-deputado Roberto Jefferson, presidente do PTB, ela foi condenada a pagar R$ 60 mil por dívidas trabalhistas.

Leia a carta de demissão se Helton Yomura a Michel Temer: