Imprensa livre e independente
02 de dezembro de 2013, 11h21

Hotel de luxo simula favela para turistas “experimentarem” pobreza

Emoya Luxury Hotel and Spa, na África do Sul, traz a reprodução de uma favela feita no resort de luxo para acomodar clientes “mais extravagantes”

Emoya Luxury Hotel and Spa, na África do Sul, traz a reprodução de uma favela feita no resort de luxo para acomodar clientes “mais extravagantes” Por Pragmatismo Político O Emoya Luxury Hotel and Spa, na África do Sul, tem uma atração especial para os seus hóspedes: a Shanty Town. Trata-se da reprodução de uma favela feita no resort de luxo para acomodar clientes “mais extravagantes”. Emoya Luxury Hotel and Spa, África do Sul (divulgação) Com diária de R$ 192 (barraco para quatro pessoas), o cliente pode ter a experiência “autêntica” de viver em uma favela. O barraco é feito com...

Emoya Luxury Hotel and Spa, na África do Sul, traz a reprodução de uma favela feita no resort de luxo para acomodar clientes “mais extravagantes”

Por Pragmatismo Político

O Emoya Luxury Hotel and Spa, na África do Sul, tem uma atração especial para os seus hóspedes: a Shanty Town. Trata-se da reprodução de uma favela feita no resort de luxo para acomodar clientes “mais extravagantes”.

Emoya Luxury Hotel and Spa, África do Sul (divulgação)

Com diária de R$ 192 (barraco para quatro pessoas), o cliente pode ter a experiência “autêntica” de viver em uma favela. O barraco é feito com os mesmos materiais das moradias originais da região.

Emoya Luxury Hotel and Spa, África do Sul (divulgação)

Mas, ao contrário de um barraco tradicional – sem energia elétrica e aquecimento -, cada unidade da favela do resort tem sistema de aquecimento sob o chão e acesso à internet.

A favela de luxo recebe até 52 pessoas.

Vídeo:

Veja também:  Ex-mulher de Bolsonaro corre para se aposentar antes da reforma da Previdência

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum