17 de setembro de 2018, 09h30

IBC-Br aponta crescimento de 0,57% em julho. Prévia fica muito abaixo do ‘pibinho’ de Dilma

No acumulado em 12 meses até julho, a prévia do PIB registrou crescimento de 1,46%. O PIB mais baixo de todos os mandatos de governos petistas foi de 2,5%

Michel Temer.Foto Cesar Itiberê/PR

O Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br), considerado uma “prévia” do Produto Interno Bruto (PIB), teve crescimento de 0,57% em julho, comparado com o mês anterior, de acordo com informações divulgadas pelo Banco Central nesta segunda-feira (17).

No acumulado em 12 meses até julho, a prévia do PIB (indicador dessazonalizado) registrou crescimento de 1,46%.

Em 2014 o governo Dilma registrou o PIB mais baixo de todos os mandatos de governos petistas: 2,5% – um número que, apesar de baixo, é maior que a prévia do PIB registrado agora pelo governo Temer.

Acontece que, naquele ano, já criando as bases para a narrativa do impeachment que viria a se consolidar dois anos depois, a imprensa insistiu em chamar aquele PIB de “pibinho” – uma maneira de desqualificar as políticas econômicas da equipe de Dilma.

Esse foi o segundo mês seguido do pequeno crescimento do nível de atividade, que avançou 3,42% em junho – após o tombo de 3,35% em maio, por conta da greve dos caminhoneiros.

Os números do BC mostram ainda que, nos sete primeiros meses deste ano, o indicador do nível de atividade registrou uma expansão de 1,19%, sem o ajuste sazonal.


#tags