Imprensa livre e independente
22 de julho de 2015, 16h55

Inaugurado o Banco do Brics, a alternativa financeira ao FMI

Criado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (Brics), o banco de desenvolvimento começou a operar com um fundo de US$ 100 bilhões para reagir às possíveis "contingências" e financiar projetos de infraestrutura, ameaçando a atual hegemonia norte-americana nas finanças mundiais.

Criado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (Brics), o banco de desenvolvimento começou a operar com um fundo de US$ 100 bilhões para reagir às possíveis “contingências”  e financiar projetos de infraestrutura, ameaçando a atual hegemonia norte-americana nas finanças mundiais  Por Redação  Foi inaugurado nesta terça-feira (21), em Xangai, na China, o Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), entidade financeira criada pelos países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Com um fundo inicial de US$ 100 bilhões, a instituição atuará como alternativa ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e ao Banco Mundial (BM). De acordo com o...

Criado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (Brics), o banco de desenvolvimento começou a operar com um fundo de US$ 100 bilhões para reagir às possíveis “contingências”  e financiar projetos de infraestrutura, ameaçando a atual hegemonia norte-americana nas finanças mundiais 

Por Redação 

Foi inaugurado nesta terça-feira (21), em Xangai, na China, o Novo Banco de Desenvolvimento (NDB), entidade financeira criada pelos países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Com um fundo inicial de US$ 100 bilhões, a instituição atuará como alternativa ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e ao Banco Mundial (BM). De acordo com o indiano Kundapur Vaman Kamath, um dos diretores do banco dos Brics, essas entidades monopolizam o sistema financeiro global e são dominadas, principalmente, pelos Estados Unidos.

A criação do banco foi aprovada na 4ª Reunião de Cúpula Anual do Brics – ocorrida na Índia em 2012 – e a instituição será presidida por Kamath. O brasileiro Paulo Nogueira Batista Júnior será um dos vice-presidentes.

Foto: Divulgação 

 

 

Veja também:  Após Bolsonaro, abaixo-assinado e evento no Facebook querem Moro fora de conferência em Portugal

 

 

 

 

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum