Imprensa livre e independente
18 de maio de 2019, 10h29

Investigado, ex-assessor de gabinete de Bolsonaro não tem registro de entrada na Câmara

Nelson Alves Rabello foi secretário parlamentar nível 18 e recebeu R$ 92,2 mil em salários durante os 19 meses em que assessorou Bolsonaro sem nunca ter pisado na Câmara

Bolsonaro em seu mandato na Câmara (Arquivo/ Antonio Augusto / Câmara dos Deputados)
Reportagem da Agência Pública, divulgada nesta quinta-feira (16), informa que Nelson Alves Rabello, um dos investigados da quebra de sigilo bancário de ex-funcionários de Flávio Bolsonaro (PSL/RJ) na Alerj, atuou por 19 meses como assessor de gabinete de Jair Bolsonaro (PSL) sem nunca ter entrado na Câmara Federal. Via Lei de Informação, a reportagem recebeu a informação de que não há registro de entrada do ex-assessor de Bolsonaro no parlamento durante o período em que ele estava supostamente lotado no gabinete do hoje presidente. Nelson Alves foi secretário parlamentar nível 18 da Câmara dos Deputados e recebeu R$ 92,2 mil...

Reportagem da Agência Pública, divulgada nesta quinta-feira (16), informa que Nelson Alves Rabello, um dos investigados da quebra de sigilo bancário de ex-funcionários de Flávio Bolsonaro (PSL/RJ) na Alerj, atuou por 19 meses como assessor de gabinete de Jair Bolsonaro (PSL) sem nunca ter entrado na Câmara Federal.

Via Lei de Informação, a reportagem recebeu a informação de que não há registro de entrada do ex-assessor de Bolsonaro no parlamento durante o período em que ele estava supostamente lotado no gabinete do hoje presidente.

Nelson Alves foi secretário parlamentar nível 18 da Câmara dos Deputados e recebeu R$ 92,2 mil em salários durante o período que assessorou Bolsonaro.

Veja também:  Raquel Dodge encaminha parecer contrário à anulação da condenação de Lula no STF

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum