Imprensa livre e independente
09 de junho de 2017, 20h11

Janot reforça pedido de prisão de Aécio: “Estratégias de obstrução da Justiça continuam em curso”

O procurador-geral da República enviou um novo pedido ao STF reiterando a necessidade da prisão preventiva do senador afastado pois as denúncias dão conta de que o tucano ainda estaria tentando obstruir a Justiça e que a lavagem dos R$2 milhões de propina da JBS ainda esteja em curso  Por Redação  O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou nesta sexta-feira (9) ao Supremo Tribunal Federal (STF) um novo ofício em que reitera o pedido de prisão do senador afastado Aécio Neves (PSDB). O ministro do Supremo, Luiz Edson Fachin, que determinou o afastamento do tucano de suas atividades parlamentares por...

O procurador-geral da República enviou um novo pedido ao STF reiterando a necessidade da prisão preventiva do senador afastado pois as denúncias dão conta de que o tucano ainda estaria tentando obstruir a Justiça e que a lavagem dos R$2 milhões de propina da JBS ainda esteja em curso 

Por Redação 

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou nesta sexta-feira (9) ao Supremo Tribunal Federal (STF) um novo ofício em que reitera o pedido de prisão do senador afastado Aécio Neves (PSDB). O ministro do Supremo, Luiz Edson Fachin, que determinou o afastamento do tucano de suas atividades parlamentares por conta das recentes denúncias, havia negado, no mês passado, o pedido de prisão expedido por Janot.

Agora, no novo pedido, além de reforçar que a irmã do tucano, Andrea Neves, e seu primo, Frederico Pacheco, permaneçam presos, Janot argumenta que a prisão preventiva de Aécio é necessária pois as denúncias contidas na delação de Joesley Batista, da JBS, indicam que estratégias para a obstrução da Justiça ainda estejam em curso. Aécio Neves, após a delação que revelou a gravação em que o tucano pede R$2 milhões em propina ao empresário, se tornou alvo de um novo inquérito no Supremo e é investigado por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça.

Veja também:  VÍDEO: Policiais militares espancam carroceiro na Zona Oeste de SP

De acordo com Janot, em seu novo pedido, os R$2 milhões em propina podem ainda estar sendo lavados.

“Vislumbra-se grande probabilidade de que a lavagem de parte dos R$ 2 milhões recebidos da propina paga recentemente pela J&F com participação direta de todos os requeridos ainda esteja em curso”, afirmou o procurador-geral.

Antes, a PGR já havia apresentado recurso contra a negativa de Fachin de prender Aécio. O recurso caiu nas mãos do ministro Marco Aurélio, que disse que levará à questão para decisão dos demais ministros da Corte, porém não há uma data definida para isto acontecer.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum