02 de maio de 2018, 17h17

Jaques Wagner diz que manchete sobre apoio a Ciro é manipulação e fake news

O ex-ministro Jaques Wagner desmentiu uma matéria do Estadão sobre suposto apoio do PT, como vice, na chapa de Ciro Gomes. "Não tenho duas opiniões: Lula é o candidato do PT ", escreveu em nota. Confira

Foto: Ricardo Stuckert

O ex-ministro e ex-governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), divulgou uma nota na tarde desta quarta-feira (2) em que desmente uma matéria do Estadão sobre um suposto apoio do PT à Ciro Gomes, encabeçando um vice em sua chapa.

“Para Jaques Wagner, PT pode ser vice de Ciro Gomes”, diz a manchete da reportagem que, de forma ambígua, apresenta declarações de Jaques de forma contextualizada, dando a entender que seu partido já conversa com Ciro sobre uma candidatura conjunta, com um nome do PT como vice. O ex-governador, no entanto, negou e chamou a matéria do Estadão de fake news.

“Impressiona como a manipulação de informações pode produzir intrigas, confusões e buscar ganho financeiro. É a Era das Fake News e dos Caça-Cliques. Quem leu a matéria inteira compreendeu; quem ficou apenas na manchete foi manipulado. Não tenho duas opiniões: Lula é o candidato do PT”, escreveu.

Confira a íntegra.

Impressiona como a manipulação de informações pode produzir intrigas, confusões e buscar ganho financeiro. É a Era das Fake News e dos Caça-Cliques. Quem leu a matéria inteira compreendeu; quem ficou apenas na manchete foi manipulado. Não tenho duas opiniões: Lula é o candidato do PT, do povo brasileiro, líder em todas pesquisas e símbolo de esperança para o país. Uma eleição sem Lula é, sim, fraude pois sua condenação é injusta, baseada em convicção sem provas. Lula não é passado, é resistência no presente e esperança no futuro. Não aceitamos sua interdição e lutaremos contra ela até o fim. Agora, se o sistema jurídico brasileiro levar a cabo sua interdição e impedir a candidatura do ex-presidente, defendo, como sempre defendi em 40 anos de trajetória política ao lado de Lula, o caminho do diálogo, da unidade, da busca por consensos entre os movimentos sociais, os partidos de esquerda e todos aqueles que lutam pela Democracia no Brasil.