08 de novembro de 2018, 17h33

Jean Wyllys: Nobel da Paz critica Moro na Justiça em Parlamento do Mercosul

‘É um acinte ao mundo democrático Moro ter aceito o convite para ser ministro da justiça de Bolsonaro. Porque fica evidente sua atuação política em relação aos processos contra Lula, e seu baixo senso de justiça”, afirma Adolfo Pérez Esquivel

Foto: Divulgação/MST

O deputado federal reeleito pelo PSOL, Jean Wyllys, postou em sua página no Facebook uma mensagem, na qual registra o protesto do ativista argentino Adolfo Pérez Esquivel, Prêmio Nobel da Paz em 1980, contra a nomeação do juiz Sérgio Moro para ser o ministro da Justiça e da Segurança Púbica de Jair Bolsonaro.

“Agora, durante a audiência pública para elaboração do Informe Anual de Direitos Humanos do Parlamento do Mercosul, Adolfo Pérez Esquivel, vencedor do prêmio Nobel da paz, diz: ‘É um acinte ao mundo democrático Moro ter aceito o convite para ser ministro da justiça de Bolsonaro. Porque fica evidente sua atuação política em relação aos processos contra Lula, e seu baixo senso de justiça’”.

Esquivel se notabilizou por ser um fervoroso ativista dos direitos humanos e defensores do ex-presidente Lula. Entre as várias atividades, antes das eleições, o argentino articulou um manifesto, apoiado por intelectuais, ex-chefes de Estado e políticos de vários países, com o objetivo de marcar posição e deixar claro “o mais profundo repúdio ao candidato de extrema direita, Jair Bolsonaro”.