Jessé de Souza detona Operação Lava Jato no Jornal da Cultura
12 de Maio de 2018, 14h12

Jessé de Souza detona Operação Lava Jato no Jornal da Cultura

“O Pré-sal tinha sido montado segundo o mesmo tipo de modelo que a Noruega tinha feito. Agora ela está sendo partilhada e entregue. E a Lava Jato participa disso", disse o sociólogo

O sociólogo Jessé de Souza, autor de inúmeras obras aclamadas, inclusive “A Elite do Atraso”, livro que está sendo lido por Lula neste momento, de acordo com seus advogados, disse em pleno Jornal da Cultura, na última terça-feira (8) que a Operação Lava Jato “é um engodo”. A sua fala pegou a apresentadora de surpresa, que perguntou: “Engodo por que?”. E ele prontamente respondeu:

“Porque é uma mentira”, disse o sociólogo. “É uma justiça seletiva. Quando as pessoas quiseram denunciar os crimes do mercado financeiro, ninguém quis ouvir. Que Justiça é esta?”.

Veja a fala de Jessé a partir do minuto 34′

Jessé foi ainda mais além:

“Emílio Odebrecht falou na sua delação sobre a Rede Globo, ninguém quis investigar. E por que a Petrobras e por que a Odebrecht? Porque essas duas empresas são extremamente importantes para o ataque do capitalismo financeiro americano, que destruiu os Brics e o processo de inserção autônoma do Brasil, junto com Rússia, China, etc. Quer dizer: Destruir empresas de vanguarda como a Petrobras e a Odebrecht — que nenhum americano faz. Nenhum americano é idiota de acabar com milhões de empregos de suas grandes empresas. Isso não é feito. Isso só é feito aqui. Destruímos a uma base produtiva extremamente importante a partir de um processo que é seletivo, que é dirigido de acordo com interesses partidários e que não toca de modo algum na questão real de como a corrupção funciona entre nós, com a intermediação do sistema financeiro”.

Ao ser perguntado sobre os lucros deste anos da Petrobrás, o sociólogo respondeu:

“A Petrobras era antes, alguns anos atrás, responsável por 50% dos investimentos no Brasil, dos investimentos públicos entre nós. A Petrobras hoje em dia não faz nada disso, a riqueza do petróleo no Pré-sal iria financiar a educação de gerações de pobres no Brasil. O Pré-sal foi entregue para meia dúzia de empresas estrangeiras, aonde está indo este lucro? No bolso de quem? De que meia dúzia? Não vai mais ao povo”.

No final, para perplexidade da apresentadora e de Leandro Karnal, o outro comentarista presente, Jessé fulminou:

“O Pré-sal tinha sido montado segundo o mesmo tipo de modelo que a Noruega tinha feito. Agora ela está sendo partilhada e entregue. E a Lava Jato participa disso.”