Imprensa livre e independente
12 de dezembro de 2018, 21h59

Jornalista demitida da Globo porque ficou doente diz: “Comecei um novo ciclo de vida”

Izabella Camargo teve de ficar dois meses e 15 dias de licença médica e quando voltou ao trabalho foi comunicada de sua dispensa imediata da Globo

Foto: Reprodução/Globo Izabella Camargo, jornalista demitida da Rede Globo depois de ficar doente e pedir licença médica, em entrevista à TV Gazeta, nesta quarta-feira (12), resolveu contar um pouco de sua história, de acordo com informações de Lucas Medeiros, da TV Foco. Após sofrer de Síndrome de Burnout, ao voltar aos trabalhos na emissora, foi surpreendida com a informação de que não permaneceria no emprego, sendo dispensada imediatamente. A jornalista revela um pouco do que passou: “Fiz muitas terapias alternativas, psicólogas, cuidando de dentro e de fora. Muita respiração e meditação. Além de tomar café, energético, procurei um endocrinologista e comecei...

Foto: Reprodução/Globo

Izabella Camargo, jornalista demitida da Rede Globo depois de ficar doente e pedir licença médica, em entrevista à TV Gazeta, nesta quarta-feira (12), resolveu contar um pouco de sua história, de acordo com informações de Lucas Medeiros, da TV Foco. Após sofrer de Síndrome de Burnout, ao voltar aos trabalhos na emissora, foi surpreendida com a informação de que não permaneceria no emprego, sendo dispensada imediatamente.

A jornalista revela um pouco do que passou: “Fiz muitas terapias alternativas, psicólogas, cuidando de dentro e de fora. Muita respiração e meditação. Além de tomar café, energético, procurei um endocrinologista e comecei a tomar remédio para me dar mais energia. Não me orgulho disso porque foi a pior coisa que eu fiz. Eu ultrapassei o meu limite para dar conta do que eu não tinha controle. Extrapolei o meu limite”, revela.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Veja também:  Ministério Público do Trabalho recebe denúncia de 25 casos de assédio sexual e racismo no McDonald’s

“Comecei a ter crises de choro, crises nervosas. ‘Ué, mas eu faço meditação todo dia, pilates, RPG, uso floral… Por que estou tendo taquicardia? Não começa de um dia para o outro. A corda arrebenta quando você passa do limite. O meu corpo começou a acumular um déficit que era provocado pela falta de sono”, explicou.

Aconselhada pelos médicos, Izabella diz que pediu a seus chefes na Globo para mudar de turno durante alguns meses, como forma de amenizar os efeitos da síndrome, mas não foi atendida.

Ela chegava na emissora às 3 horas da madrugada. Fazia quatro entradas no telejornal H1, enquanto se preparava para a GloboNews, na qual ficava até 20 minutos no ar falando de meteorologia sem parar. Depois, entrava no Bom Dia Brasil.

Foi na fase de pilotos para o novo H1 e para o Em Ponto que a quadro clínico de Izabella piorou. “Comecei a sentir taquicardia, a ter crises de choro, crises nervosas, sintomas de esgotamento”, rfevela. O auge foi em 14 de agosto. Ela teve um apagão em pleno ar, enquanto interagia com José Roberto Burnier, âncora do Em Ponto, que a levou a ser afastada.

Veja também:  Chico Buarque é o vencedor do Prêmio Camões, o mais importante da língua portuguesa

Desabafo

No início de novembro, Izabella fez um desabafo: “Estou sendo punida por ter ficado doente, com uma doença funcional, e os laudos provam isso. Foi um susto. Esperava qualquer coisa, menos ser demitida”, disse, em referência à demissão na Globo.

A Síndrome de Burnout é o desgaste emocional que danifica aspectos físicos e psíquicos da pessoa, reduzindo a naturalidade e a velocidade com que ela realiza suas tarefas.

Volta por cima

No entanto, agora ela garante que está dando a volta por cima. “Há um mês eu comecei um novo ciclo de vida. Exatamente no dia 29 de outubro eu voltei de uma licença médica que durou 2 meses e 15 dias e fui desligada da empresa em que eu trabalhava”, afirmou, em um vídeo no Instagram.

Disse, ainda, que está otimista quanto ao seu futuro, que será de recomeço na vida profissional: “Eu lembrei que temos vários recomeços na vida. Tudo tem começo, meio e fim, vários começos e fins e tudo bem, faz parte da vida”.

Veja também:  Bolsonaro tenta se fazer de vítima ao apelar por clamor popular, avaliam líderes sobre carta-renúncia

Agora que você chegou ao final deste texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum