10 de outubro de 2018, 17h46

Jornalista é hostilizada por apoiadores de Bolsonaro por usar adesivo #EleNão

Gabi Coelho, que trabalha no jornal Voz das Comunidades, teve sua mochila puxada e foi chamada de “macaca petista”

Foto: Reprodução/Facebook Gabi Coelho

Mais uma ocorrência de violência protagonizada por apoiadores do candidato Jair Bolsonaro (PSL) foi registrada nesta quarta-feira (10), no centro de Belo Horizonte (MG). A jornalista Gabi Coelho, integrante do Voz das Comunidades, jornal comunitário que divulga atividades do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, foi agredida por eleitores do militar, por usar um adesivo #EleNão em sua mochila.

Apesar de não querer conceder entrevistas, Gabi, que coordena a equipe de colunistas do Voz e faz parte da ONG há quatro anos, postou um desabafo no Instagram: “O cara saiu me puxando em praça pública. Eu estava com o adesivo #EleNão e um cara puxou minha mochila e me chamou de macaca petista! Ficou falando do meu cabelo!”.

Após o fato, Rene Silva, idealizador do Voz das Comunidades e um dos 100 negros mais influentes do mundo em 2018, título concedido pela organização Mipad (“Most Influential People of African Descent”, ou Afrodescendentes mais influentes, em português), de Nova Iorque, divulgou que vai se afastar das redes: “Pessoal, peço desculpas por não poder ficar mais nas redes sociais durante esse período. Devido a tudo isso que tá acontecendo, e eu vendo as pessoas aplaudindo ou desconfiando da veracidade desses fatos, prefiro me distanciar!”.