19 de setembro de 2018, 20h50

Juan Grabois, o amigo do Papa que visitou Lula, é preso na Argentina

O líder social argentino e amigo do Papa Francisco foi preso pela polícia de Buenos Aires enquanto participava de um protesto pela liberação dos militantes do Movimento de Trabalhadores Excluídos e de seis vendedores ambulantes senegaleses; Grabois denuncia abuso policial

Reprodução

Por Victor Farinelli, na Carta Maior 

O dirigente social da Confederação de Trabalhadores da Economia Popular (CTEP), Juan Grabois, foi preso pela Polícia de Buenos Aires na noite desta terça-feira (18/9), enquanto participava de um protesto pela liberação dos militantes do Movimento de Trabalhadores Excluídos (MTE) e de seis vendedores ambulantes senegaleses.

Leia também
Grabois sabe mais do que o Papa pensa de Lula do que qualquer cardeal brasileiro, afirma sociólogo argentino

Os policiais avançaram contra os manifestantes que protestavam em frente à 18ª delegacia, entre as ruas San Juan e Entre Ríos. Grabois ficou detido nesse mesmo edifício, junto com outros dirigentes sociais, entre os que se encontravam outros referentes do CTEP, como Rafael Klejzer e Jaquelina Flores.

A manifestação em frente à delegacia pedia a liberação de seis vendedores ambulantes senegaleses, que foram presos horas antes pelas forças policiais, na estação de trem de Constituição.

Continue lendo na Carta Maior