16 de novembro de 2018, 16h29

Juiz manda Casa Branca devolver credencial para jornalista da CNN

O repórter Jim Acosta foi suspenso no dia 7 de novembro depois de ter discutido com o presidente norte-americano Donald Trump

Foto: Reprodução/Twitter

A Justiça federal norte-americana determinou, nesta sexta-feira (16), que a Casa Branca devolva a credencial de imprensa ao jornalista Jim Acosta, da CNN, retirada no dia 7 de novembro, de acordo com informações do G1. A medida foi tomada depois que o repórter discutiu asperamente com Donald Trump. O conflito teve origem no momento em que Acosta perguntou se o presidente havia “demonizado os migrantes” durante a campanha para as eleições.

A emissora já havia ingressado com uma ação contra a suspensão e disse que o correspondente da Casa Branca, Jim Acosta, tem sido alvo frequente de críticas de Trump.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você não pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

A Associação de Correspondentes da Casa Branca tinha considerado inaceitável a medida tomada pelo Executivo norte-americano.

“A Associação de Correspondentes da Casa Branca se opõe fortemente à decisão da administração Trump de usar credenciais de segurança do serviço secreto dos Estados Unidos como uma ferramenta para punir um repórter com quem tem um relacionamento difícil”, reagiu o grupo em um comunicado. “Exortamos a Casa Branca a reverter imediatamente esta ação frágil e equivocada”, acrescentou.