20 de agosto de 2018, 07h19

Juiz solta empresário filmado agredindo a esposa. Vídeo com imagens fortes

A liberdade de Bortolin teve parecer favorável do Ministério Público e segundo o juiz plantonista Fabiano Ribeiro, o suspeito não representa risco para o cumprimento da lei

Agressão em Tocantins. Foto: Reprodução
O juiz Fabiano Ribeiro abriu mão da fiança e permitiu que o empresário Giorgio Alan Bortolin dos Santos, preso em flagrante após ser filmado por uma câmera de segurança agredindo a própria mulher, responda ao crime em liberdade. Para o juiz, o suspeito não representa risco para o cumprimento da lei. O suspeito foi colocado em liberdade 24 horas depois da prisão. A agressão foi registrada na noite de sexta-feira (17) em Araguaína, norte do Tocantins. No vídeo, é possível ver que a mulher foi atacada com socos, derrubada e chutada por Bortolin e ainda puxada pelo cabelo. Segundo a Polícia...

O juiz Fabiano Ribeiro abriu mão da fiança e permitiu que o empresário Giorgio Alan Bortolin dos Santos, preso em flagrante após ser filmado por uma câmera de segurança agredindo a própria mulher, responda ao crime em liberdade. Para o juiz, o suspeito não representa risco para o cumprimento da lei.

O suspeito foi colocado em liberdade 24 horas depois da prisão. A agressão foi registrada na noite de sexta-feira (17) em Araguaína, norte do Tocantins.

No vídeo, é possível ver que a mulher foi atacada com socos, derrubada e chutada por Bortolin e ainda puxada pelo cabelo. Segundo a Polícia Civil, o casal é dono de um restaurante que funciona no hotel onde o espancamento ocorreu.

Após a prisão, segundo a polícia o homem confessou as agressões. O delegado estabeleceu uma fiança de R$ 50 mil, mas o valor foi desconsiderado pela Justiça.

A liberdade de Bortolin teve parecer favorável do Ministério Público e segundo o juiz plantonista Fabiano Ribeiro, o suspeito não representa risco para o cumprimento da lei.

“Ao meu sentir, no presente momento, não encontro elementos para conversão da prisão em flagrante em preventiva. É de se ver que as medidas cautelares diversas da prisão atualmente são suficientes a garantir a aplicação da lei penal, da instrução criminal e a garantia da ordem pública e econômica”, diz em trecho da decisão.

O juiz estabeleceu algumas medidas restritivas para o marido: comparecer aos atos processuais, não mudar de endereço ou sair da comarca por mais de cinco dias sem autorização da justiça, assim como manter distância mínima de 200 metros da mulher.

Também não poderá fazer contato com parentes da mulher ou frequentar os mesmos locais que a vítima, entre outras proibições.

Durante depoimento, a vítima disse que não era a primeira agressão que sofria. O marido não tinha passagens pela polícia até o boletim de ocorrência do caso ser registrado. Ele é natural de Santa Catarina e alegou que a discussão foi motivada por ciúmes da esposa.

Com informações do G1