Imprensa livre e independente
24 de agosto de 2018, 10h32

Justiça condena MBL a publicar direito de resposta por ofensas a Jaques Wagner

"O MBL mentiu, ofendeu e o TRE fez justiça. Esperamos que aprendam a lição”, diz Eden Valadares, coordenador da campanha de Jaques Wagner ao Senado

O trumpetaço em apoio a Lula em Salvador. Foto: Reprodução
O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia concedeu direito de resposta ao candidato a senador Jaques Wagner (PT), por ofensas publicadas nas páginas do Facebook do MBL e de dois dos seus principais aliados, Fernando Bispo e Kim Kataguiri. Em sua decisão, a desembargadora Gardênia Pereira Duarte afirmou que “a crítica amparada em fatos e opiniões reais, exposta de maneira regular, é parte da disputa democrática, no entanto, quando o ponto de vista exposto ao público destoa destas balizas, compete ao Poder Judiciário, quando provocado, reparar os danos eventualmente causados às partes”. Ainda segundo a decisão, ao publicar fake news sobre...

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia concedeu direito de resposta ao candidato a senador Jaques Wagner (PT), por ofensas publicadas nas páginas do Facebook do MBL e de dois dos seus principais aliados, Fernando Bispo e Kim Kataguiri.

Em sua decisão, a desembargadora Gardênia Pereira Duarte afirmou que “a crítica amparada em fatos e opiniões reais, exposta de maneira regular, é parte da disputa democrática, no entanto, quando o ponto de vista exposto ao público destoa destas balizas, compete ao Poder Judiciário, quando provocado, reparar os danos eventualmente causados às partes”.

Ainda segundo a decisão, ao publicar fake news sobre a presença de Wagner em um evento ocorrido no Shopping Barra em Salvador e dar a entender que as manifestações captadas em vídeo seriam contra o ex-governador, ficou “delineado um quadro de patente afronta à Lei Geral das Eleições”.

Éden Valadares, coordenador da campanha de Jaques Wagner ao Senado, considerou a decisão uma vitória da democracia e comentou o nível da disputa eleitoral neste ano. “A orientação de Wagner é pautar a campanha com debate de ideias, propostas e, sobretudo, primar pela verdade. O MBL mentiu, ofendeu e o TRE fez justiça. Esperamos que aprendam a lição”, destacou.

Veja também:  Milícia bolsonarista nas redes faz MBL perder mais de 50 mil seguidores

Relembre o caso
Conforme noticiado pela Fórum em 14 de agosto, o grupo de extrema direita espalhou um vídeo onde Wagner supostamente seria vaiado por três pessoas durante “trumpetaço” em apoio a Lula em shopping de Salvador.

Para o presidente do PT da Bahia, Everaldo Anunciação, a ação do MBL é um ato vinculado aos adversários da campanha eleitoral. “Está claro a vinculação partidária deles com o DEM. O Brasil inteiro sabe disso. Para nós, é desespero de quem percebe a derrota que virá nas urnas”, avaliou o petista.

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum