ASSISTA
30 de Maio de 2016, 17h10

Justiça do Rio manda soltar mulher presa por injúria racial

Maria Francisca Alves de Souza foi presa em flagrante após ofender gerente de um supermercado com ofensas racistas: “Volta pra Senzala!” Por Redação “Volta pra Senzala!”. Este era o grito de Maria Francisca Alves de Souza para Paulo Roberto Gonçalves Navarro, gerente de um supermercado localizado em uma área nobre do Rio de Janeiro. O […]

Maria Francisca Alves de Souza foi presa em flagrante após ofender gerente de um supermercado com ofensas racistas: “Volta pra Senzala!”

Por Redação

“Volta pra Senzala!”. Este era o grito de Maria Francisca Alves de Souza para Paulo Roberto Gonçalves Navarro, gerente de um supermercado localizado em uma área nobre do Rio de Janeiro. O funcionário havia se recusado a pegar para ela um produto enquanto ela estava na fila do caixa.

Paulo Roberto e outros funcionários chamaram a polícia e a mulher foi presa em flagrante pelo crime de injúria racial. O caso aconteceu no último sábado (28).

Na manhã desta segunda-feira (30), no entanto, a juíza Ana Luiza Coimbra Mayon Nogueira, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) concedeu liberdade provisória à Maria Francisca, mediante a comparecimento mensal em juízo, atendendo a um pedido do Ministério Público.

Em sua justificativa, a agressora afirmou que não cometeu nenhum ato de racismo e que teria feito, na verdade, um elogio à vítima. “Olhe como são retratadas as senzalas nas telas de Debret”, teria dito.

No depoimento oficial, contudo, Maria Francisca mudou o tom e afirmou que não tinha intenção de agredir o funcionário.

Foto: Reprodução