21 de agosto de 2018, 10h07

Kakay vai defender de graça jovens ativistas condenados por protestos em 2013

Kakay considera a sentença pouco técnica e vai tentar a absolvição dos três na segunda instância

Os protestos de 2013. Foto Mídia Ninja
De acordo com informações da coluna de Lauro Jardim, o conhecido criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, vai representar pro bono os ativistas Felipe Proença, Felipe Frieb e Pedro Guilherme, condenados em primeira instância por vandalismo nos protestos de 2013. Kakay considera a sentença pouco técnica e vai tentar a absolvição dos três na segunda instância. Os jovens foram condenados em primeira instância pelo juiz pelo juiz Flavio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ), a sete anos de prisão por formação de quadrilha ou bando e por corrupção de menores. Foram condenados por Itabaiana 23 ativistas, na...

De acordo com informações da coluna de Lauro Jardim, o conhecido criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, vai representar pro bono os ativistas Felipe Proença, Felipe Frieb e Pedro Guilherme, condenados em primeira instância por vandalismo nos protestos de 2013.

Kakay considera a sentença pouco técnica e vai tentar a absolvição dos três na segunda instância.

Os jovens foram condenados em primeira instância pelo juiz pelo juiz Flavio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça (TJ), a sete anos de prisão por formação de quadrilha ou bando e por corrupção de menores. Foram condenados por Itabaiana 23 ativistas, na época acusados de planejar e realizar protestos violentos contra os gastos da Copa.

Posteriormente, a Operação Lava Jato provou que ocorreram diversos casos de corrupção envolvendo obras que foram feitas ou iniciadas para a competição esportiva e que levaram, inclusive, o ex-governador Sergio Cabral e seus principais secretários à cadeia, onde ainda permanecem.