Imprensa livre e independente
13 de dezembro de 2018, 12h50

Keith Richards diz que parou de beber: “É interessante tocar sóbrio”

Conhecido pelos excessos, o guitarrista da banda de rock mais famosa e cultuada do mundo afirmou que “era a hora de sair”. "Assim como todas as outras coisas”

Foto: Twitter
Keith Richards anunciou, em entrevista para revista Rolling Stone EUA, que parou de beber. O lendário guitarrista dos Rolling Stones afirmou que já faz um ano que não ingere bebidas alcoólicas. “Já faz um ano”, contou o músico. “Eu parei. Me cansei disso.” Mas, ele admite que, às vezes, ainda bebe “uma taça de vinho, ou uma cerveja”. Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais Richards disse que percebeu uma diferença no palco durante os primeiros shows da banda em 2018: “É interessante tocar sóbrio”. Conhecido pelos excessos, o...

Keith Richards anunciou, em entrevista para revista Rolling Stone EUA, que parou de beber. O lendário guitarrista dos Rolling Stones afirmou que já faz um ano que não ingere bebidas alcoólicas.

“Já faz um ano”, contou o músico. “Eu parei. Me cansei disso.” Mas, ele admite que, às vezes, ainda bebe “uma taça de vinho, ou uma cerveja”.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Richards disse que percebeu uma diferença no palco durante os primeiros shows da banda em 2018: “É interessante tocar sóbrio”.

Conhecido pelos excessos, o guitarrista da banda de rock mais famosa e cultuada do mundo afirmou que “Era a hora de sair”. “Assim como todas as outras coisas”, conta.

“Mas eu não noto nenhuma diferença grande – exceto pelo fato de eu não beber. Não estava me sentindo [certo]. Eu fiz isso. Não queria mais.”

Seu parceiro na execução das guitarras da banda, Ronnie Wood, sóbrio desde 2010, após décadas de problemas de abuso de substâncias, ficou muito feliz com a notícia e percebe grandes mudanças no amigo.

Veja também:  Weintraub: o grande mentecapto destruidor da educação pública brasileira

“É um prazer trabalhar com ele assim”, diz Wood. “É muito mais suave. Ele está aberto a mais ideias, enquanto antes eu lidava com ele pensando: ‘ele vai me mandar à merda por dizer isso’. Agora, ele vai dizer ‘legal, cara’”, disse.

Com informações da revista Rolling Stone

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais

Fórum em Brasília, apoie a Sucursal

Fórum tem investido cada dia mais em jornalismo. Neste ano inauguramos uma Sucursal em Brasília para cobrir de perto o governo Bolsonaro e o Congresso Nacional. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Clique no link abaixo e faça a sua doação.

Apoie a Fórum