Imprensa livre e independente
19 de fevereiro de 2019, 14h22

Kim Kataguiri é aclamado presidente da Frente pelo Livre Mercado: “Está estabelecida a ditadura do Kim”

Anunciada na última semana, a frente, que pretende lutar pela agenda liberal na economia na Câmara – com apoio a pautas como a Reforma da Previdência e a flexibilização das relações trabalhistas – realizou sua primeira reunião

Kim Kataguiri lidera a Frente pelo Livre Mercado (Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados)
O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) foi aclamado presidente da Frente Parlamentar pelo Livre Mercado na primeira reunião do grupo nesta terça-feira (19), na Câmara dos Deputados. “Obrigado, está estabelecida a ditadura do Kim”, disse ele, sob aplausos, após ter o nome sugerido por um dos parlamentares. Anunciada na última semana, a frente, que pretende lutar pela agenda liberal na economia na Câmara – com apoio a pautas como a Reforma da Previdência e a flexibilização das relações trabalhistas – realizou sua primeira reunião. Entre os participantes, estavam conhecidos nomes bolsonaristas como Bia Kicis (PSL-DF) e Carla Zambelli (PSL-SP).  Também participaram...

O deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) foi aclamado presidente da Frente Parlamentar pelo Livre Mercado na primeira reunião do grupo nesta terça-feira (19), na Câmara dos Deputados. “Obrigado, está estabelecida a ditadura do Kim”, disse ele, sob aplausos, após ter o nome sugerido por um dos parlamentares.

Anunciada na última semana, a frente, que pretende lutar pela agenda liberal na economia na Câmara – com apoio a pautas como a Reforma da Previdência e a flexibilização das relações trabalhistas – realizou sua primeira reunião.

Entre os participantes, estavam conhecidos nomes bolsonaristas como Bia Kicis (PSL-DF) e Carla Zambelli (PSL-SP).  Também participaram jovens parlamentares de direita, a exemplo de Kataguiri, como Marcel van Hattem (Novo-RS) e Luísa Canziani (PTB-PR).

Muitos integrantes da Frente pelo Livre Mercado fazem parte também da Frente Parlamentar Agropecuária, caso de Kataguiri e Bia Kicis.

No encontro, marcado para antes do início da ordem do dia, os deputados discutiram o Projeto de Lei Complementar (PLP) 441/2017, que institui o Cadastro Positivo e está previsto para entrar na pauta da Câmara nesta terça.

Veja também:  Bancada do PT comemora Greve Geral e afirma que vai atuar para derrubar reforma da Previdência

Já existe um cadastro positivo de consumidores mas a participação é opcional. O consumidor tem que pedir a própria inclusão. No novo modelo, o consumidor terá seus dados incluídos de maneira automática para embasar a análise de crédito de bancos e empresas. Os defensores da proposta afirmam que a exclusão poderá ser solicitada com facilidade.

A Frente pelo Livre Mercado é favorável à proposta, que enfrenta resistência de órgãos de defesa do consumidor. Na reunião desta terça, representantes do Banco Central e Ministério da Economia orientaram os deputados sobre  destaques apresentados por partidos de oposição – PSOL, PT, PSB, PDT e PCdoB – considerados prejudiciais à proposta.

Outro tema discutido foi o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 7/2019, do deputado Heitor Schuch (PSB-RS) que corta subsídios de energia para produtores rurais. A frente liberal quer se preparar para a discussão do tema e já prevê choque com a frente agropecuária, beneficiada pelos subsídios.

“Quero lembrar que o projeto do subsídio da energia será retirado de pauta. Vamos ter algum tempo pra pensar sobre isso. A gente vai se deparar em alguns momentos com interesses antagônicos [em relação à Frente Parlamentar Agropecuária] e vamos ter que optar pela melhor saída para o Brasil”, disse Bia Kicis.

Veja também:  Aliado de Bolsonaro, governador do RJ lamenta não ter autorização para jogar míssil na Cidade de Deus

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum