09 de julho de 2018, 13h11

Leandro Fortes: o plantonista

Em sua coluna para a Fórum, Leandro Fortes analisa: “O ‘plantonista’ também virou ‘petista’, de modo que os buldogues sonolentos de ontem, surpreendidos pela audácia de Fraveto, já foram adestrados para, a partir de agora, morder o calcanhar do desembargador com mais força”

Foto: Reprodução/YouTube

Em mais de 30 anos de lida como jornalista, nunca tinha visto um magistrado – juiz, desembargador ou ministro – ser reduzido a “plantonista” pelo noticiário.

O termo, que antes servia apenas para caracterizar uma função burocrática eventual, passou a ser usado, no recente episódio da soltura de Lula, como uma pecha permanente contra o desembargador Rogério Favreto.

Em algum momento, a tropa de colunistas cães de guarda foi avisada pelos donos de que, dali em diante, Fraveto deveria ser chamado de “plantonista”, um usurpador efêmero da ordem estabelecida pelo golpe, esse monstro que obrigou um juiz de primeira instância a interromper as férias para dar pito num tribunal superior.

Não se enganem. O “plantonista” também virou “petista”, de modo que os buldogues sonolentos de ontem, surpreendidos pela audácia de Fraveto, já foram adestrados para, a partir de agora, morder o calcanhar do desembargador com mais força.