14 de fevereiro de 2018, 20h55

Logo após nascer, bebê fica detido por três dias em cela com a mãe

Caso aconteceu em São Paulo. Uma jovem de 24 anos foi detida acusada de portar 90 gramas de maconha e, um dia depois, antes da audiência de custódia, entrou em trabalho de parto. Juiz decidiu manter a prisão e encarcerou ela e o bebê em uma cela suja de dois metros quadrados

Foto: Condepe

Uma mulher de 24 anos foi detida no último sábado (10) em São Paulo e passou três dias encarcerada com seu bebê recém-nascido em uma cela suja e de apenas dois metros quadrados de uma delegacia.

Jéssica Monteiro foi detida sob a acusação de portar 90 gramas de maconha – ela nega que seja usuária ou traficante. Ela, então, foi encaminhada para uma cela na carceragem do 8º DP (Brás), zona leste de São Paulo e, no dia seguinte, entrou em trabalho de parto. Quando recebeu alta, na terça-feira (13), por ordem do juiz, foi encaminhada de volta à carceragem com seu bebê de apenas dois dias.

De acordo com o advogado Ariel de Castro Alves, membro da Comissão dos Direitos da Criança e do Adolescente do Condepe (Conselho Estadual de Direitos Humanos), as condições da cela eram precárias.

“É uma carceragem para presos do sexo masculino, ex-policiais, agentes penitenciários, seguranças. Por mais que os policiais tenham se esforçado para garantirem condições adequadas de alimentação e higiene, o ambiente da carceragem é precário”, afirmou ao portal R7.

Além das condições de gestante da mulher, agrava ainda a situação a que foi submetida o fato de ela ser réu primária – fator que, para Ariel, daria a jovem o “direito a prisão domiciliar e a responder pelo crime em liberdade provisória”.

No final da tarde desta quarta-feira (14), Jéssica foi transferida para a Penitenciária Feminina de Santana, na zona norte, que conta com berçário.