23 de outubro de 2013, 11h37

Luciana Genro oficializa pré-candidatura à presidência pelo PSOL

Ex-deputada é a primeira no partido a se lançar como pré-candidata. Outros nomes ainda podem surgir

Ex-deputada é a primeira no partido a se lançar como pré-candidata. Outros nomes ainda podem surgir

Por Redação

Luciana Genro (Foto: Ramiro Furquim/Sul21)

Em 2014, o PSOL completará 10 anos de existência e terá pela frente mais uma disputa presidencial. E, por enquanto, a ex-deputada federal Luciana Genro é a única pré-candidatura oficial do partido. O ato de lançamento da pré-candidatura acontece na próxima quinta-feira (24), no Rio de Janeiro.

Outros nomes ainda são lembrados como possíveis postulantes à vaga de presidenciável pelo partido, entre eles o do senador Randolfe Rodrigues (AP), do ex-candidato a prefeito de Fortaleza Renato Roseno e o do deputado federal Chico Alencar (RJ). Plínio de Arruda Sampaio, candidato derrotado em 2010, avisou que não tentará concorrer em 2014.

Em entrevista ao Portal da Band, Plínio manifestou apoio à candidatura de Luciana. “Vou dar apoio total para ela. Com certeza sua participação ajudará a aumentar a bancada do PSOL em Brasília em 2014.”

Para as próximas eleições, o partido afirma que não fará alianças com partidos “da base governista ou de falsa oposição”, e também não aceitará o financiamento de bancos e empresas.

Luciana é filha do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT). A ex-deputada federal foi expulsa do PT em 2003, após se posicionar de forma contrária à proposta de Reforma da Previdência bancada pelo governo Lula. No dia 6 de junho de 2004, Luciana e outros parlamentares expulsos, como Babá, Heloísa Helena e João Fontes, participaram da fundação do PSOL.